Dona Iris de Araújo, ex-senadora, ex-deputada, ex-primeira dama de Goiás e de Goiânia e viúva de Iris Rezende Machado, foi enterrada por volta das 19h30 desta quarta-feira, 22. O corpo saiu em cortejo fúnebre do Paço Municipal, onde foi velado durante todo o dia, e chegou sob um salva de palmas ao cemitério Santana. O sepultamento foi acompanhado de perto pelos três filhos do casal: Cristiano, Ana Paula e Adriana. Autoridades, como o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) e o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), se juntaram a populares nas últimas homenagens.

Durante o sepultamento, enquanto violinos tocavam músicas sacras, populares agradeciam todo o apoio que receberam de Dona Iris durante sua trajetória política. Mais cedo, no velório, o governador Ronaldo Caiado destacou o protagonismo de Dona Iris na política. “Ela construiu uma trajetória marcada, principalmente, pela defesa de políticas sociais para a população. Fomos colegas na Câmara Federal e testemunho que ela exerceu seus mandatos com coragem e altivez. Dona Iris foi sempre uma voz em defesa do povo goiano”, declarou.

Chegada do corpo ao cemitério Santana

O governador decretou luto oficial de três dias pela morte da ex-deputada federal e ex-primeira dama de Goiás. A determinação está no Decreto Nº 10.221, de 21 de fevereiro de 2023, publicado em edição extra do Diário Oficial do Estado.

Para o vice-governador Daniel Vilela (MDB), “Dona Iris foi precursora na defesa da participação das mulheres na vida politica. Ela teve um simbolismo muito grande pro nosso partido, chegou a se candidatar a vive-presidente. Os políticos que ficam vão sempre reverenciar a história e o legado dela”, afirmou.

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, também lembrou da trajetória de Dona Iris na política. “Ela lutou por um direito como mulher de se envolver com a política, se envolveu e em todos os papéis que assumiu, sempre defendeu a mulher”, avaliou. O prefeito destacou a Casa de Vidro como um dos principais legados de Dona Iris pra capital.

Segundo o prefeito, o vereador Henrique Alves (MDB), já apresentou um projeto para homenagear a ex-deputada federal. “Deve entrar em votação em breve na Câmara Municipal para que eu possa sancionar dando à Avenida Perimetral Norte o nome de Dona Iris de Araújo”, antecipou.

Segundo Ana Paula Rezende, filha do casal Iris, depois que seu pai se foi, sua mãe “perdeu a graça”. Durante o velório, ela reforçou a importância dos pais para a política goiana e lembrou do privilégio dos goianos de terem convivido com políticos tão humanos.

“Tiveram uma vida muito intensa, eles ajudaram muitas pessoas”, afirmou a filha que, mesmo em um momento tão triste, fez questão de agradecer por ter vivido ao lado dos pais.Sobre o futuro, Ana Paula afirmou que quando o pai morreu, ela preferiu se distanciar da política. “Hoje não me vejo candidatando a nenhum cargo público, mas penso em uma forma de continuar na política”, declarou.

Amigo pessoal da família Rezende, o publicitário Hamilton Carneiro lembrou da participação de Dona Iris nas Diretas Já, na criação da campanha do agasalho no Estado e também na construção da Maternidade Dona Iris.“Da mesma forma com que ela usava com inteligência e sabedoria o microfone do palanque, ela usava a colher de pau na cozinha. No seu programa de receitas ela mostrava o lado terno dela.

Iris de Araújo morreu por complicações depois de uma cirurgia. Ela já tinha sido internada em novembro do ano passado para tratar uma infecção nos rins, chegando a ficar na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).