O deputado-federal José Nelto (PP-GO) começou a recolher assinaturas para requerer a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com o objetivo de investigar, no prazo de até 120 dias, os crimes cometidos pelo governo Bolsonaro contra a vida, a saúde e a segurança dos Povos Indígenas da Comunidade Yanomami.

O parlamentar defende que quando o Estado deixa de atuar e sua omissão resulta no estímulo à atuação dos garimpeiros, cresce o desmatamento e resulta na desnutrição social e econômica daquela comunidade, ante a perda de seu patrimônio. “A situação de violência e massacre que vem sendo vivenciada pelo Povo Indígena da Comunidade Yanomami é antiga e, ao que parece, decorre de ações promovidas por invasores e da omissão da atuação do Estado na defesa de direitos fundamentais do referido povo indígena. Contamos com os colegas para apurar as práticas genocidas e responsabilizar os envolvidos”, detalha o texto do requerimento assinado pelo deputado.

Segundo o parlamentar, a CPI é o que o Brasil e o mundo esperam dos políticos brasileiros. “Tá na hora de fazer valer um verdadeiro discurso pró-vida. Porque todas elas importam. Esse país precisa honrar a tradição indígena e salvar as vítimas desse genocídio. Como Parlamentar, vou me debruçar sobre cada denunciar e exigir que sejam tomas as medidas necessárias”, avaliou José Nelto.

O deputado federal goiano ainda declarou que é grave a alegação de que o Governo entregou de mão beijada a reserva Yanomami para garimpeiros. “Confirmados esses indícios, a cadeia é o lugar para todos os envolvidos. Estou convicto de que o caminho é o indiciamento e caberá o MPF e a justiça colocar na cadeia os culpados”, arrematou.