“Estamos muito felizes que o Brasil vai jogar aqui”, dizem moradores de Rostov

Jornal Opção já desembarcou na cidade em que a seleção brasileira estreia na Copa do Mundo

Da esquerda para a direita: Danil Kovalenko, Stas Zakatyansky e Nikolay Fedorov | Foto: Marcelo Mariano/Jornal Opção

De Rostov, Rússia

O Jornal Opção deixou o verão de Moscou — com cara de inverno de São Paulo — para trás e já desembarcou em Rostov, cidade que receberá o primeiro jogo da seleção brasileira, no domingo (17/6), contra a Suíça.

Stas Zakatyansky, 30 anos, nasceu nos arredores de Rostov e, com apenas dois meses de idade, mudou-se para a Ucrânia. Aos 13, voltou à cidade natal. Fã de futebol, é torcedor do clube local, o FC Rostov.

O interesse pela seleção brasileira vem desde pequeno — sempre a escolhia quando jogava videogame. Ele conta que nunca imaginou que um dia o Brasil jogaria em Rostov. “Estamos muito felizes que o Brasil vai jogar aqui. Para mim, é um sonho que está se realizando”, diz

Stas é frequentador assídio do Mozart Wine House, um bar de vinho localizado no centro da cidade. Um dos atendentes do local, Danil Kovalenko, 28 anos, conta que nunca viu brasileiros em Rostov e está muito animado com a partida do Brasil.

Copa do Mundo
Danil nasceu no Quirguistão, uma ex-república soviética, mas está morando na Rússia desde o primeiro ano de idade. “Sinto-me mais russo que quirguistanês”, frisa.

O mesmo entusiamo com o Brasil em Rostov não é notado em relação ao evento como um todo. Para ele, o mundial não deve ajudar a fomentar o futebol na Rússia. “O nosso governo não se preocupa com o esporte nem com as crianças.”

Nikolay Fedorov, 27 anos, nascido e criado em Rostov e colega de Danil no referido bar, concorda e afirma que o dinheiro gasto pelo governo na Copa do Mundo é “irracional”. “Mas o evento será bom para mostrar a Rússia para o mundo”, sublinha.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.