O empresário alemão que foi sequestrado e teve R$ 50 milhões em bitcoin roubado, em Anápolis, voltou para a Europa, segundo o advogado dele, Fabrício Pereira. A vítima teria ficado traumatizada com os eventos e temem sofrer um novo crime. Por conta dos investigados estarem livres, ele e a esposa brasileira optaram por deixar o país por um tempo.

“Ele está passando uma temporada na Europa e se mudou para uma casa em um condomínio fechado, em Anápolis. Mas foi embora porque a Justiça não determinou a prisão de nenhum investigado. Então, ele ainda tem receio. É perigoso para ele”, explicou o advogado do empresário alemão.

O caso aconteceu em setembro de 2020, no qual os suspeitos invadiram a casa do empresário e o fizeram de refém. Para ser resgatado, ele precisou pagar a quantia milionária em criptomoeda.“Disseram que se eu fizesse algo errado e se não digitasse os códigos corretos, que iriam me matar na hora”, relatou a vítima ao Fantástico, programa da TV Globo.

Ainda segundo Pereira, o empresário conheceu os suspeitos por meio de amigos próximos. Eles eram traders e se encontraram em São Paulo para uma reunião de negócios, mas nada foi concretizado. Depois, eles descobriram que a vítima tinha uma carteira com mais de 500 bitcoins, o que motivou a planejarem e realizarem o sequestro. 

Ainda neste mês, a Polícia Civil realizou uma operação para cumprir 32 mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados em Goiânia e Anápolis, além de locais nos estados de São Paulo e Tocantins. Notebooks, celulares, veículos, joias e dinheiro em espécie foram apreendidos.