Uma ação paramilitar na madrugada desta segunda-feira, 26, está impedindo a entrada das famílias residentes no Acampamento Dom Tomás Balduíno, localizado em Formosa (GO).

Os funcionários da fazenda, acompanhados por homens armados, estão ameaçando as famílias que vivem nas áreas 1 e 3, as quais se dirigem à área 2, onde o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) realizará hoje o recadastramento das famílias no sistema de beneficiários do próprio INCRA.

As famílias do Dom Tomás residem e trabalham nessas áreas há mais de sete anos. Elas foram reassentadas nas fazendas pelo próprio INCRA como parte de um processo avançado de desapropriação para a Reforma Agrária.

Devido à paralisação da Política Nacional de Reforma Agrária no governo Temer e ao longo do governo Bolsonaro, o processo de desapropriação da fazenda não avançou. Além disso, o proprietário faleceu e a comunidade ficou sem ter para onde ir, sujeita a várias formas de violência financiadas pelos herdeiros das dívidas das fazendas.

As propriedades acumulam dívidas de milhões junto a bancos públicos, e é provável que o dinheiro obtido com a venda delas não seja suficiente para quitar os débitos com o poder público.