A deputada federal Magda Mofatto (Patriota) foi sumariamente contrária a Reforma Tributária, aprovada na Câmara dos Deputados. O placar foi de 382 a 118. Já no segundo turno, a proposta foi aprovada por 375 a 113.

A proposta prevê a unificação de cinco tributos, concentrando-os na União, e tornado a autonomia de Estados em desenvolvimento e municípios. A nova alíquota prevê que o governo federal terá alíquota de 0,9% e o IVA estadual e municipal, de 0,1%.

Os impostos que serão unificados são: IPI, PIS e Cofins, que são federais; ICMS, que é estadual, e o ISS, que é municipal. Esses tributos deixariam de existir e seriam criados dois impostos sobre valor agregado, os IVAs: um seria gerenciado pela União e outro teria gestão compartilhada por estados e municípios.

A deputada expressou preocupações em relação ao impacto que a reforma teria nos municípios goianos. Segundo a parlamentar, a proposta não leva em consideração as especificidades econômicas e sociais da região.

De acordo com Mofatto, o voto contrário a reforma é por que o texto atrapalha os municípios goianos e o setor produtivo em geral. “Vai contra tudo que eu prego e trabalho, que é dar condições para os municípios. A reforma tributária aprovada beneficia a União e tira poder dos municípios, o que é um erro”, disse Magda Mofatto.