Secretário de Saúde, Luiz Carlos Teixeira: “Daqui a uns 20 ou 30 anos é que vamos ter a dimensão do que tem sido feito”
Secretário de Saúde, Luiz Carlos Teixeira: “Daqui a uns 20 ou 30 anos é que vamos ter a dimensão do que tem sido feito”

O secretário de Saúde, Luiz Carlos Teixeira, à Câmara Muni­cipal de Anápolis, na semana passada, conversar com os vereadores. Ele destacou que, atualmente, a saúde pública do município ainda não pode ser considerada “a ideal”, ainda que um processo de melhorias já tenha sido iniciado e que as ações resultem, em um futuro próximo, em um quadro positivo. “Daqui a uns 20 ou 30 anos é que vamos ter a dimensão do que tem sido feito”, afirmou.
Segundo ele, a saúde anapolina é referência para outros municípios e até para outros Estados. Por outro lado, isso faz com que o sistema seja sobrecarregado por pacientes de outros locais. “Temos o lado bom, mas também temos o lado ruim de possuirmos uma rede de saúde que serve de referência para outros municípios.” O secretário também ressaltou que, com a abertura de novas unidades nos bairros e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o Hospital Municipal deixou de ser utilizado como pronto socorro e que, assim, tem priorizado os casos que são encaminhados por outras unidades, aumentando o número de leitos de UTI’s.

Mauro Severiano (SD) ressaltou que a saúde de Anápolis, quando comparada com os demais municípios goianos, deveria ser motivo de comemoração para os anapolinos. Alguns vereadores, entretanto sublinharam que, por mais que o quadro esteja melhor, a saúde ainda carece de melhorias. O petebista Frei Valdair, por exemplo, questionou o secretário sobre os planos da pasta para solucionar o atendimento às pessoas que residem mais distantes e que necessitam de acompanhamento médico. Já o vereador Jakson Charles (PSB) enalteceu o trabalho desenvolvido pela secretaria, pontuando apenas quanto à comunicação da pasta: “Talvez o que falte à secretaria é comunicação. Às vezes, as críticas negativas ainda surgem, mas porque faltam informações do que tem sido feito e onde tem sido realizado as ações”.

Pegando o gancho, Sargento Pereira (PSL) destacou, por exemplo, os comentários sobre as unidades básicas de saúde que não realizam procedimentos, considerados simples, por falta de material. “Não sei, realmente, se é por essa falta ou se o problema é de logística”, pontuou. Por fim, Pereira sugeriu que a secretaria auxilie na mobilidade de quem precisa do serviço, mas não tem condições de se deslocar.

A saúde anapolina tem recebido investimentos estaduais e municipais. As obras de ampliação do Hospital de Urgência Dr. Hen­rique Santillo (Huana), a entrega da UPA do setor Vila Espe­rança e programas como o “Con­sul­tório na rua” são exemplos de ações desenvolvidas.