Cezar Santos
Cezar Santos

Tropa de choque de Jovair Arantes se mexe para a conquista da Câmara

Deputados que apoiam o goiano para substituir Rodrigo Maia na Casa se movimentam para adiar a votação do dia 2 para 10 de fevereiro; enquanto isso, Rogério Rosso dá sinais de desistência

Deputado Jovair Arantes: lança vídeo e se diz preparado para comandar a Câmara Federal

O deputado Jovair Aran­tes não está para brincadeira ao pleitear o comando da Câmara Federal a partir de fevereiro, no lugar de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que exerce mandato-tampão em decorrência da queda de Eduardo Cunha. Ele entrou com tudo na campanha e mobiliza aliados daqui e de outros Estados para a eleição que está marcada para o dia 2.

A “Folha” noticiou na sexta-feira, 13, que deputados federais que apoiam a candidatura do petebista goiano à presidência da Câmara estudam entrar com um requerimento para que a eleição seja adiada do dia 2 para o dia 10 de fevereiro. A mudança da data foi defendida pelo presidente do PTB paulista, o deputado estadual Campos Machado, durante encontro de Jovair com políticos de São Paulo.

Um dos líderes do grupo, o deputado Paulinho da Força, presidente do SD, disse que o requerimento seria apresentado pelo deputado Fausto Pinato (PP-SP) antes que o Congresso retome os trabalhos legislativos, idealmente com a assinatura de 50 ou 60 parlamentares.

Segundo o jornal, Paulinho explicou que a estratégia visa evitar que a eleição aconteça antes que o Supremo Tribunal Federal (STF) decida sobre a possibilidade de reeleição de Rodrigo Maia, favorito na disputa, mesmo porque tem o apoio ainda que velado do Palácio do Planalto. “O objetivo não é atrapalhar a candidatura de Maia, é saber se ele pode ou não pode”, disse Paulinho.

A Constituição veda reeleição ao cargo, mas Maia trabalha com a hipótese de que a norma não se aplicaria a ele, já que tomou posse para um mandato-tampão –foi eleito em julho, após a renúncia de Eduardo Cunha. O atual presidente ainda não oficializou a candidatura, mas trabalha diariamente para vencer no primeiro turno e evitar a possibilidade de surpresas.

O goiano e seus aliados não poupam críticas a Rodrigo Maia. A crítica é que o carioca está jogando a Câmara dos Deputados no pantanoso braço da judicialização, o que inevitavelmente criaria mais desgaste para a casa. Maia faz de conta que não é com ele e aposta que o Su­premo não vai interferir no resultado do pleito, até por causa dos recentes conflitos entre Judiciário e Legislativo.

Conforme o jornal, a estratégia do PTB esbarra no próprio adversário, já que Rodrigo Maia pode avaliar o requerimento sozinho ou encaminhá-lo à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Como o presidente trata a tese favorável à sua recondução como “pacificada”, foi aconselhado a não consultar a CCJ sobre assuntos ligados à eleição.

Jefferson na área

Jovair tem em seu favor a experiência de um dos mais habilidosos articuladores da cena política atual, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, reabilitado após indulto do STF em março. Roberto Jefferson também parte para o ataque a Rodrigo Maia e compara a atitude do presidente com seu antecessor, Eduardo Cunha, famoso por suas manobras regimentais na Câmara dos Deputados.

“Joga na conveniência, está ruim isso, não pode manobrar nesse sentido, a sociedade não aceita mais isso”, disse Jefferson à “Folha”. “Essas manobras levaram a um desgaste brutal da Câmara dos Deputados e da figura do ex-presidente. É filigrana jurídica. O cara cozinha. Está dentro da vírgula aqui, pode, está fora da vírgula, não pode. Isso está errado”, completou.

Segundo jornal, sobre as tentativas de Maia de conquistar o “centrão”, grupo de partidos médios que reúne 250 deputados e reduto de Jovair, Jefferson indicou um contra-ataque: “E o Jovair está fazendo o quê? Ele está em São Paulo e hoje vai visitar o PSDB. Ele tenta no quintal do Jovair e o Jovair tenta no quintal dele.”

Rosso pisca

Deputado Rogério Rosso: o parlamentar brasiliense dá sinais de que pode deixar a disputa

No que pode ser um bom sinal para Jovair Arantes, um dos adversários do goiano na pretensão de comandar a Câmara, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF) deu sinais de vacilo na disputa, denotando que até pode sair do jogo.

Em entrevista à “Folha”, na sexta-feira, Rosso deixou trair certo desconforto com seu próprio partido. Ao ser perguntado se ele se sente abandonado quando o ministro Gilberto Kassab fala em discutir a viabilidade da sua candidatura, Rosso respondeu que não. “Kassab é o líder maior do partido, meu amigo. Junto com a bancada, no final do ano passado, lançou nossa candidatura. Toda candidatura, para se viabilizar, precisa de um tempo de trabalho e de apoiamento. É o que tenho feito.”

Rosso disse que a eleição para o comando da Câmara é muito atípica porque a candidatura do presidente Rodrigo Maia à reeleição esbarra num conflito constitucional grave, em razão de ser uma reeleição dentro da mesma legislatura. “Com muito respeito ao Maia, não enxergo espaço para reeleição na Constituição. Isso gera insegurança jurídica. Esta eleição está sendo caracterizada por isso.”

Derrotado por Rodrigo Maia na eleição em julho, Rosso critica a candidatura do atual presidente, mas não descarta deixar a disputa de 2 de fevereiro, quando diz que é preciso ter desprendimento para evitar um racha na base governista.

Sobre qual seria o timing para decidir se leva a candidatura adiante, Rogério Rosso disse que a avaliação de candidatura deve ser feita de forma permanente: “Temos vários dias pela frente. Ainda tem muita água para passar debaixo da ponte”.

E Jovair Arantes lançou na sexta-feira um vídeo no qual argumenta que tem experiência necessária para conduzir a Casa. O filmete mostra momentos mais íntimos do parlamentar, no qual fala da família e do caminho que faz para o Congresso Nacional. “Aqui é a sustentação de toda democracia brasileira. É o para-choque da busca dos anseios que a sociedade tem. Creio que tenho cumprido meu papel e me lanço candidato a presidente porque creio que tenho a experiência necessária para ter coragem de assumir uma candidatura. Vamos presidir com a certeza de que estamos no rumo certo.”

O deputado, que há anos lidera o bloco goiano no Congresso Nacional, está em seu sexto mandato na Câmara Federal e tem como adversários na disputa pela presidência, além de Rodrigo Maia e Rogério Rosso, André Figueiredo (PDT-CE). Jovair ganhou notoriedade nacional ao relatar o processo na Comissão Especial do Impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT), na Câmara dos Deputados. Ele produziu um relatório elogiado e considerado tecnicamente perfeito.

Desde o início da semana, o deputado do PTB viaja pelo País em encontro com deputados. Ele já es­teve em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.