*Carlos César Higa

Frank Sinatra esteve no Brasil em 1980 para uma apresentação no Maracanã. Estádio lotado não para ver o gol, mas sim para ver e ouvir cantar “A Voz”, o “Old blue eyes”. Ronaldo Bôscoli, um dos criadores da Bossa Nova, era fã de carteirinha de Sinatra. Ofereceram um ingresso para ver o ídolo ao vivo, mas ele preferiu ver o show em casa. Bôscoli ficou arrepiado a cada canção do repertório. Se ele de longe sentiu isso, imagina quem viu aquela lenda ao vivo.

Sinatra e a Bossa

A ligação de Sinatra com o Brasil vem de longe. No começo dos anos 1960, ele queria dividir um disco com Tom Jobim. Sim, a Bossa Nova entrou com tudo nos Estados Unidos. Além do disco, os dois gravaram um vídeo cantando “Garota de Ipanema” em inglês. Sinatra na voz e Tom no violão. Ouvi -los cantar até hoje nos deixam arrepiados igual o Ronaldo Bôscoli.

O primeiro fã clube do Brasil se chamava Sinatra-Farney e foi lançado em 1949. A sede ficava na Tijuca, subúrbio do Rio de Janeiro, onde os fãs ouviam as novidades gravadas por Frank Sinatra e pelo brasileiro Dick Farney. Quando o Maracanã ainda era um canteiro de obras, os brasileiros já reverenciavam “A Voz”. Será que algum integrante do fã clube foi ao show de Sinatra em 1980?

Foi num 14 de maio de 1998 que Frank Sinatra nos deixou. Vê-lo e ouvi-lo até hoje nos emociona. “A Voz” jamais se cala, se eterniza.