O rock deu sentido à vida de muita meninada em meados dos anos 1950. Adolescentes que viam na guitarra e no canto berrado dos primeiros roqueiros um caminho a seguir, uma forma de ganhar uns trocados, de sair de casa, de arranjar uma namorada, de ganhar o mundo.

Dois adolescentes amantes daquela música animada vinda dos Estados Unidos se encontraram em 6 de julho de 1957. John Winston Lennon e James Paul McCartney foram apresentados em uma quermesse da Igreja St Peter, em Liverpool.

John Lennon tocava na banda Quarreymen, que se apresentava na festa. Paul McCartney foi ver a banda e foi apresentado à Lennon. Os dois subiram no palco, cantaram e tocaram os rocks que sabiam de cor. Começava não somente uma amizade, mas uma parceria que iria conquistar o mundo.

Além do amor ao rock, John Lennon e Paul McCartney se mostraram exímios compositores. Esse foi um dos diferenciais dos Beatles no início da carreira. Enquanto as outras bandas gravavam músicas dos outros, os Beatles cantavam suas próprias músicas. Ao longo do tempo, o “Lennon/McCartney” dominava as paradas de sucesso. Até mesmo quando um dos dois compunha sozinho, a música era atribuída aos dois.

A amizade entre eles estremeceu no final dos anos 1960. O fim dos Beatles expôs mágoas.

John Lennon e Paul McCartney, ambos em carreira solo, começaram a se alfinetar em músicas. Enquanto McCartney escrevia “Another day”, Lennon respondia com “How do you sleep now”.

Mas, em 1976, os dois voltaram a se encontrar. Paul foi até o Edifício Dakota, em Nova York, onde John morava. Esse encontro virou roteiro do filme “Two of us”. Tem uma cena desse filme que uma fã reconhece Lennon na rua, pede um autógrafo, e fica doida ao saber que o cara ao lado era Paul McCartney.

Naquele ano, o “Saturday night live” propôs um reencontro dos Beatles, mas não deu certo. Lennon e McCartney estavam juntos vendo o programa e quase foram aos estúdios da NBC só para fazer uma graça, mas ambos estavam cansados. Seria maravilhoso vê-los juntos novamente. Mas, a cada vez que ouvimos uma música dos Beatles, esse encontro sempre acontece (e a inteligência artificial está rondando: daqui a pouco os dois aparecem cantando — juntos e misturados).