Sou repetitivo, então digo novamente que gosto demais das fotos da construção de Brasília. A do post de hoje nos mostra a Catedral inacabada. Olhando-a lembrei que, em setembro de 2017, participei de uma missa lá dentro. Antes de começar a celebração, as visitas são suspensas. Antes de ser uma atração turística, a Catedral é o altar onde se celebra o sacrifício de Cristo. Ao invés de turistas, quem adentra ali é o fiel que aproveita os vitrais e tudo mais que o envolve naquele lugar para comungar do Corpo e Sangue de Cristo. Após a bênção final, as visitações são retomadas e todo mundo pode ver esse lugar sagrado e belo de Brasília. Nem o calorão, em dias ensolarados, afasta os fiéis.

É praxe passear pela capital federal e tirar uma foto em frente à Catedral. Ou fazer um vídeo. Olhá-la de longe e contemplar a beleza de sua arquitetura (pode se falar que se trata de uma escultura de cimento, aço e vidro). As mãos se unindo em direção ao céu. De noite ela fica ainda mais bela. Em 1960, a Catedral estava em construção. Juscelino Kubitschek só pode vê-la finalizada na década de 1970, numa visita clandestina. Cassado pelos militares, o fundador não podia andar livremente pelas ruas da cidade que construiu.

A Catedral merece ser visitada, principalmente participar da Santa Missa. E digo tudo isso novamente porque o que vale a pena merece ser repetido, recordado.