Se a França descobriu, o Brasil precisa descobrir as pesquisas densas da pesquisadora da USP Josy Teixeira

Josy Teixeira é a melhor explicadora da música de Belchior | Foto: Facebook

Josy Teixeira Carlos é um desses fenômenos tropicais que são descobertos no Brasil só depois de serem descobertos na Europa — no caso, em Paris, cidade que é uma festa para a diversidade cultural. Se fosse americano, um compositor e cantor (era um intérprete extraordinário de suas músicas, assim como Chico Buarque) do porte de Belchior já teria merecido dezenas de biografias alentadas — decentes e, até, indecentes. No Brasil, só há a biografia escrita pelo jornalista Jotabê Medeiros — que, embora de qualidade, é preliminar, lacunar — e alguns estudos acadêmicos sérios, como os de Josy Teixeira.

A vantagem é que o Brasil tem Josy Teixeira, a pesquisadora que talvez mais saiba sobre a música e o contexto da criação da arte de Belchior. Generosamente, compartilha na internet o resultado de seu trabalho, tanto o acadêmico quanto artigos em jornais (e concede entrevistas explicando o artista, que, de tão multifacetado, parece muitos, embora a unidade esteja presente na variedade).

O livro é bom, mas o Brasil precisa conhecer mais sobre o cantor e compositor

Pois, se o Brasil não publica a dissertação de mestrado e a tese de doutorado de Josy Teixeira, verdadeiras bíblias sobre Belchior e sua obra — e, claro, sobre o país que o gerou —, a França o faz. A Universidade Sorbonne Nouvelle Paris 3 acaba de publicar um livro online da professora-doutora, o que vai contribuir para que Belchior seja mais bem compreendido na Europa (Paris ainda é a “capital” do continente).

Os alentados trabalhos de Josy Teixeira estão passando da hora de sair em livro — sim, impresso —, já que menos de 3% dos brasileiros leem livros digitais, segundo pesquisa divulgada há pouco tempo.

Se você quer entender James Joyce, o autor de “Ulysses”, precisa ler Richard Ellmann, seu mais importante biógrafo. Pois, se quer compreender tanto Belchior quanto sua música — complexa e reverberante —, então precisa ler Josy Teixeira, pesquisadora cearense radicada em São Paulo.