Português de 21 anos liderava plataforma de hackers que roubou milhares de dados

Diogo dos Santos Coelho (“Onipotente” e Kevin Maradona) vendeu dados de milhares de empresas e indivíduos. Inglaterra vai extraditá-lo para os Estados Unidos

Diogo dos Santos Coelho tem apenas 21 anos. É um pós-adolescente. Porém, na chefia do site RaidForums, se tornava um gigante na arte de roubar dados de empresas americanas (e de outros países) e indivíduos. Não só roubar. Ele vendia as informações (bilhões de dados vazados), prejudicando os negócios de centenas de empresas. A denúncia é do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Conhecido como “Onipotente”, “Kevin Maradona”, “Shiza” e “Downloading” o hacker Diogo dos Santos Coelho está preso na Inglaterra e brevemente será deportado para os Estados Unidos. Mesmo com sua prisão, outros hackers, seus parceiros, continuaram operando a plataforma. Porém, na quarta-feira, 13, a Operação Tourniquet derrubou a página dos super-hackers. Para ser bem-sucedida, dada a expertise dos criminosos cibernéticos, a operação teve de contar com a participação de várias agências policiais da Europa (Romênia, Portugal, Reino Unido, Alemanha e Suécia) e dos Estados Unidos.

Diogo dos Santos Coelho: hacker português | Foto do Departamento de Justiça dos EUA

Há mais dois hackers presos. Um deles, como Diogo dos Santos Coelho, também tem 21 anos e está preso em Londres. É apontado como gestor do RaidForums, depois da prisão de Diogo dos Santos Coelho. As autoridades da Inglaterra apreenderam 5 mil libras esterlinas em espécie e bloqueou meio milhão de dólares em ativos de criptomoedas.

O site RaidForums, aberto em 2015, tinha meio milhão de usuários. Parte deles — pagavam um serviço por assinatura — usava os dados para praticar fraudes contra empresas e indivíduos.

Segundo texto de “O Globo”, “o acervo disponível na plataforma incluía dados obtidos ilegalmente de grandes empresas dos Estados Unidos e do restante do mundo. Números de contas bancárias, informações de milhões de cartões de crédito e inúmeras senhas estavam à disposição dos membros do fórum. Dados vazados do Linkedin e do Facebook também estavam no acervo do RaidForum”.

O procurador-geral assistente, do Departamento de Justiça, Kenneth A. Polite Jr., disse à imprensa: “A derrubada desse mercado online para a revenda de dados hackeados ou roubados interrompe uma das principais maneiras pelas quais os cibercriminosos lucraram com o roubo em larga escala de informações pessoais e financeiras confidenciais”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.