Euler de França Belém
Euler de França Belém

Pesquisadora desmonta farsa de “Os Protocolos dos Sábios do Sião”

Hadassa Ben-Itto diz que nunca houve nenhuma reunião de judeus para traçar um plano para dominar o mundo

Reprodução

“Os Protocolos dos Sábios do Sião” são uma farsa — todos sabem. Mas há quem ainda acredite nas suas aleivosias. Publicados em 1903, como de fossem factuais, escandalizaram e, ao mesmo tempo, mesmerizaram parte do mundo. O que se diz lá, de maneira viperina, influenciou, em larga medida, pogroms na Rússia e noutros lugares, além de ter influenciado o nazista austríaco Adolf Hitler, que governou a Alemanha de 1933 a 1945 e mandou matar 6 milhões de judeus. Os judeus seriam responsáveis por uma articulação para controlar o mundo. Verdade? Mentira pura. Entretanto, muitos acreditaram (e ainda acreditam) na estória.

Como desmitificar “Os Protocolos dos Sábios do Sião”? Há um livro de qualidade, “A Força da Mentira — A Grande Farsa de ‘Os Protocolos dos Sábios de Sião’” (Educ, 480 páginas, tradução de Miriam Sanger), da pesquisadora polonesa Hadassa Ben-Itto, radicada em Israel.

Juíza em Israel, durante 31 anos, Hadassa Ben-Itto decidiu estudar, de maneira detalhada, as minutas de uma reunião que teria sido organizada por judeus com o objetivo de dominar o mundo. De cara, mostra que a reunião jamais ocorreu e, portanto, as anotações são falsas.

Discutir fatos, aquilo que aconteceu, é a missão de pesquisadores, notadamente de historiadores. Mas como discutir factualmente a respeito do que foi simplesmente inventado. Numa entrevista à “Folha de S. Paulo”, em novembro de 2017, Hadassa Ben-Itto pergunta: “O que fazer quando os fatos são pervertidos? A única solução é dizer a verdade”.

O site da Livraria Cultura (da família judia Herz) comercializa o livro “Os Protocolos dos Sábios do Sião” (Renovatio Livros, 192 páginas), com o subtítulo “O plano de dominação global mais audacioso da história”. A obra é tratada como um documento histórico, quando não o é.

3 respostas para “Pesquisadora desmonta farsa de “Os Protocolos dos Sábios do Sião””

  1. Avatar André disse:

    Porque colocar uma pessoa radicada em Israel, o estado judeu, para analisar um livro que fala sobre conspirações judaicas, de forma alguma vai ter qualquer resquício de tendenciosidade…

  2. Avatar Gabriel disse:

    Uma juíza de Israel vem desmentir Os Protocolos???
    Isso sim é uma opinião isenta!!!
    Tudo o que foi escrito há mais de cem anos está realmente acontecendo, e ainda vem dizer que é uma conspiração contra o povo judeu.
    Me poupe!!!

  3. Avatar Rodrigo disse:

    É tendenciosa demais, vindo de uma judia! Por que não se pode fazer um revisamento histórico sobre a Fraude do Holocausto? Mas quando lhes convém a história é outra! Judeus são responsáveis sim, por disseminar ódio e mentiras!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.