Euler de França Belém
Euler de França Belém

Grupo Abril não é mais da família Civita. Fábio Carvalho assume o comando

Giancarlo, Victor e Roberta Civita estão fora do negócio de revistas. “Veja”, “Exame” e “Quatro Rodas” serão dirigidas pela empresa Cavalry

Fábio Carvalho, o novo dirigente do Grupo Abril | Foto: Divulgação

O Grupo Abril, no mercado há 69 anos, saiu do controle da família Civita — Giancarlo, Victor e Roberta — e passa para o controle de Fábio Carvalho, da empresa Cavalry Investimentos. É definitivo.

A revista “Veja” anunciou a mudança de comando: “Com o fechamento do negócio, a família Civita deixa o controle e a administração do grupo, composto de 23 empresas. Carvalho se torna o novo proprietário e presidente executivo do grupo, assumindo a condução do processo de recuperação das empresas”.

Fábio Carvalho disse que, “após um processo longo para a conclusão de uma transação muito complexa, as energias agora se focam nos desafios da restruturação do grupo. Temos muita confiança nos méritos do grupo e na nossa visão para a trajetória de sucesso da Abril”.

A “Veja” informa que “o negócio já foi aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A próxima etapa será a apresentação do plano de recuperação aos credores da empresa, em assembleia marcada para o dia 28 de maio”. O Grupo Abril tem uma dívida de 1,6 bilhão de reais.

A Cavalry passa a controlar as revistas “Veja”, “Exame”, “Cláudia”, “Quatro Rodas” e “Superinteressante”. A “Exame” pode ser repassada ao BTG Pactual. Como Fábio Carvalho não tem expertise no ramo de revistas, comenta-se no mercado que as revistas tendem a ser passadas para frente separadamente. “Veja”, “Exame” e “Quatro Rodas” são consideradas as galinhas de ovos de ouro.

A tendência é que, a médio prazo, os comandos da redação sejam trocados.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ELZE FILHO

Pode-se enganar a todos por algum tempo; pode-se enganar alguns por todo o tempo; mas não se pode enganar a todos todo o tempo.

Abraham Lincoln