Espanha retorna ao estado de alarme decretado no dia 14 de março

Estima-se que somente a partir de junho as pessoas deixarão de falecer pelo coronavírus, até lá todos devem permanecer em alerta

Celeste Gomes del Salto

Especial para o Jornal Opção, de Madri

O governo anunciou no sábado, 11, que a Espanha volta ao estado de alarme decretado no dia 14 de março.

A partir de segunda-feira, 13, alguns trabalhadores poderão retornar aos seus postos de trabalho, são principalmente relacionados à construção civil e indústria. Também retornam os empregados cujas empresas não tenham meios adequados para que possam exercer as suas funções em casa.

Cuidados especiais em Madri | Foto: Reprodução

Continuam suspensas as atividades relacionadas com lazer — bares, restaurantes, discotecas, instalações culturais e instalações esportivas, parques de diversões, auditórios e playgrounds. Todas continuarão fechadas para evitar que seus funcionários tenham de trabalhar e sair do isolamento. Nestes setores há exceções, por exemplo os estabelecimentos que distribuem alimentos em domicílio.

Grande parte do comércio varejista também continuará fechado, com exceções dos estabelecimentos dedicados à venda de alimentos e bebidas, clínicas veterinárias e pet shops, oculistas, tabacarias, produtos de higiene, farmácias e lojas de produtos ortopédicos, lavanderias, serviços, telefonia e correios.

Para os trabalhadores da área de saúde, forças armadas, órgãos da segurança do Estado, segurança privada, limpeza e coleta de lixo, instituições penitenciárias, combate a incêndios, transporte de mercadorias e pessoas, fornecimento de energia e combustível, fornecimento de água, manutenção e avarias urgentes, empresas de telecomunicações e serviços essenciais de informática e telefonia, serviços financeiros, de seguros e a mídia que fazem parte dos serviços essenciais a situação atual continua sendo a mesma.

No caso dos salões de beleza — inicialmente a atividade estava proibida —, o governo autoriza visita em domicílio, apenas para garantir o cuidado e a higiene das pessoas mais vulneráveis. Também as empregadas domésticas.

No transporte, evita-se aglomeração | Foto: Reprodução

A administração da Justiça e todos os serviços relacionados com o setor manterão sua atividade de acordo com o conjunto essencial dos serviços.

Está proibido realizar festivais, desfiles, festivais populares e manifestações folclóricas em espaços abertos e vias públicas.  Está proibido sair para passear, somente está permitido descer com cachorros.

Para as pessoas que hoje voltaram às suas atividades de trabalho, o governo publicou uma guia de boas práticas para evitar o contágio do coronavírus. As principais medidas são escalonar a entrada e saída dos centros de trabalho, minimizar o contato entre trabalhadores e clientes ou o público, mantendo a distância de segurança e evitando o uso do transporte público.

Como são muitos os usuários dos serviços de transporte público, como o metrô, trem e ônibus, as forças de segurança repartirão dez milhões de máscaras para a proteção aos trabalhadores. E vigiarão estes transportes para que todos respeitem as distâncias entre os passageiros.

Os dados da contaminação e morte pelo Covid-19 continuam assustadoras: 169.496 casos confirmados e 17.489 mortes. Notícia boa: 64.727 recuperados. Há a estimativa de que somente a partir de junho as pessoas deixarão de falecer pelo coronavírus. Até lá todos devem permanecer em alerta.

Enquanto isso, várias empresas online oferecem consultas e sugestões de como fazer frente a uma permanência longa em casa. Amanhã fará um mês que a maioria das pessoas somente sai para ir aos supermercados.

Outra coisa que está sendo observada nesta longa permanência em casa é a mudança de hábito das pessoas, como a relacionada com as compras nos supermercados. A princípio, como aconteceu em todo o mundo, houve uma avalanche de compras de produtos de celulose (papel higiênico) e produto de limpeza do lar. Depois de uma semana, as pessoas passaram a comprar bebidas alcoólicas, como cerveja e vinhos, e aperitivos, batatas fritas, amendoins, etc. Agora foi notado que se elevou o índice de vendas de frutas. Os experts acreditam que, pelo fato de estarem muito tempo parados, algumas pessoas começaram a ter a preocupação de comer comida saudável e não engordar tanto.

Celeste Gomes del Salto é jornalista e mora em Madri, Espanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.