Euler de França Belém
Euler de França Belém

Duda Melzer nega que vai deixar a presidência da RBS, afiliada da Globo no Sul do país

A informação divulgada por Luiz Cláudio Cunha é apresentada como “boato” pelo executivo do grupo que tem emissoras de tevê, rádios e jornais no Rio Grande do Sul e Santa Catarina

Por meio de um comunicado, divulgado para os funcionários do Grupo RBS, seu presidente-executivo, Eduardo Sirotsky Melzer, o Duda, garantiu que não vai deixar o cargo em outubro, ao contrário do que escreveu o jornalista Luiz Cláudio Cunha, do “Jornal Já”.

Duda Melzer garantiu que tem o apoio do Conselho de Administração, presidido por um tio, Nelson Sirotsky, para manter-se à frente da empresa, que, além de emissoras de televisão no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, edita jornais, como o “Zero Hora”.

“Ontem [quarta-feira, 30] circulou uma informação falsa e absurda, dizendo que eu estava me afastando da RBS. Obviamente, isso não é verdade. Responder a boatos é contra nossos valores e princípios. Eles desviam nossa energia e nos movem em direção à desinformação”, disse Duda Melzer. “O Brasil precisa, mais do que nunca, de empresas e pessoas com coragem para enfrentar os enormes desafios que a realidade nos impõe. É muito importante que estejamos juntos, unidos, neste momento. Não vamos perder tempo e energia com boatos, pois temos um grande propósito para executar.”

A Polícia Federal mencionou o Grupo RBS como envolvido num grande esquema para não pagar ou pagar menos impostos. A Operação Zelotes, da PF, menciona algumas empresas, como a RBS e a Gerdau. O esquema envolve inclusive funcionários da Receita Federal. Porém, como não há nenhuma empesa e executivos condenados, e todos poderão apresentar suas defesas, não se pode dizer que as empresas já podem ser apontadas, de modo conclusivo, como “sonegadoras” e “corruptas” ou “corruptoras”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.