Euler de França Belém
Euler de França Belém

Contratação de Mariana Martins mostra força da TV Record e expõe fragilidade da TV Anhanguera

Perdendo audiência e pressionada pela TV Globo, a Anhanguera não faz investimentos e não consegue segurar seus profissionais

Mariana Martins, Marcos Martins, diretor-executivo da TV Record, e Marcos Silva, diretor de Jornalismo da TV Record: contrato assinado e programa em abril | Foto: Divulgação

Comenta-se no mercado que na TV Anhanguera só há três tipos de profissionais: os que estão saindo, os que estão loucos para sair e os que não têm espaço noutras emissoras. O grau de insatisfação é generalizado e os jornalistas e cinegrafistas sustentam que falta apoio dos proprietários e que o comando do jornalismo é fraco e desatento. Na TV Globo, apesar de que não há expressão pública do descontentamento, fala-se abertamente que o “tempo” da família Câmara no comando de uma de suas filiadas “esgotou-se”. Recentemente, o diretor de Programação, Amauri Soares, esteve na Anhanguera e fez críticas duras à gestão tanto empresarial quanto jornalística.

A Rede Globo teria inclusive articulado a possibilidade de Polyana Jereissati assumir o comando da empresa ou pelo menos do jornalismo. Ao Jornal Opção, a executiva chegou a dizer que tem interesse em comprar o Grupo Jaime Câmara — desde que os principais imóveis sejam incluídos no negócio. Se assumir o comando, vai priorizar as notícias quentes e fortes (hards news), porque não é mais possível competir, em termos de tevê aberta, com o jornalismo da TV Record, por exemplo. Jornalismo “ligth” só funciona, na nova perspectiva, em canais para assinantes. Canais que ficaram reservados para o povão aderem às hards news ou morrem — é o que se diz na Globo.

Mostrando que está no ataque, liderando a audiência em Goiás, a TV Record decidiu retirar uma das principais apresentadoras da TV Anhanguera, Mariana Martins (curiosamente, a única que supostamente teria sido elogiada por Amauri Soares, que a teria avaliado como tendo o perfil da Globo). Independentemente do que se pense da profissional, é uma contratação de peso e, sobretudo, mostra a força da Record e expõe a fragilidade da Anhanguera, que não consegue mais segurar seus profissionais (há outro apresentador prestes a pedir demissão).

Mariana Martins, que vai ganhar mais do que na TV Anhanguera — os salários da emissora são considerados baixos —, assinou o contrato na quarta-feira, 13, com o diretor-executivo da TV Record, Marcos Silva, e com o diretor de Jornalismo, Leonardo Habib. “A jornalista, em abril, irá comandar diariamente um novo projeto da emissora no período matutino” (será anunciado no dia 21 de março, com uma festa para o mercado publicitário), informa a Record. “Mariana tem experiência na área, é repórter e chega para fortalecer o time de apresentadores da casa.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Erick

Enquanto isso: a Serra Dourada segue aquele jornalismo caipira, vergonhoso para uma afiliada do SBT….
Vergonhoso para o SBT também!
Repórteres que mais parecem amadores, Jordevá e Luciana há quase 30 anos apresentando o Jornal do Meio Dia.
SBT deveria se espelhar e fazer o mesma gestão com a TV Serra Dourada que ficou parada no tempo.

José Carlos

Mariana merece, a tv anhanguera dispensou 170 funcionarios em dezembro/2018 , é uma empresa que não dar valor aos seus profissionais……