Euler de França Belém
Euler de França Belém

Brasil demite o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. Só falta Bolsonaro referendar

O “ataque” à senadora Kátia Abreu sugere que o ministro não percebe que a China é o maior parceiro comercial do país do Barão do Rio Branco

Barão do Rio Branco, diplomata: se vivo, estaria morto de vergonha das ações do chanceler Ernesto Araújo| Foto: Reprodução

Os Estados Unidos e a China são os dois países mais ricos do mundo e os principais compradores de produtos do Brasil. Os chineses são os grandes parceiros do país do Barão do Rio Branco.

Pois o ministro das Relações das Relações, Ernesto Araújo, tem problemas exatamente com os Estados Unidos de Joe Biden e a China de Xi Jinping.

Na cachola de Ernesto Araújo, mal-formada por leituras puramente panfletárias — derivadas do que pensa o filósofo Olavo de Carvalho —, a China de Xi Jinping é a mesma de Mao Tsé-tung. Não é, claro. São muito diferentes. Na sua “leitura” cansada e retardatária, o chanceler ainda não chegou nem mesmo a Deng Xiaoping.

Rip Van Winkle, personagem de Washington Irving | Foto: Reprodução

Como soldado invernal da Guerra Fria, congelado pelo tempo (verdadeiro Rip Van Winkle), Ernesto Araújo parece acreditar que a China quer dominar o Brasil pelo viés político. Não quer, não. Mas, do ponto de vista econômico, a China, sendo o maior parceiro comercial do país de Rubens Ricupero, tem uma presença fortíssima nos alegres trópicos. O chanceler não precisa ir longe. Basta perguntar para a senadora Kátia Abreu e para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

Hoje, se a China quebrar, ou se parar de comprar produtos patropis, como soja, o Brasil vai de embrulho… A rigor, Ernesto Araújo deveria “trabalhar” a China com mais habilidade e luvas de pelica. Os chineses vão continuar, e ele passará — como os passarinhos, mas não Mario Quintana.

Para piorar a situação do chanceler — a barba seria uma homenagem retorcida aos comunistas ou ao filósofo alemão Karl Marx? —, suas ações e pensamentos são contrários aos Estados Unidos do presidente Joe Biden, do Partido Democrata. Como se sabe fora do Itamarary, o país de Henry James e Faulkner é o segundo maior parceiro comercial da terra de Afonso Arinos de Mello Franco.

Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores, o filósofo Olavo de Carvalho e Jair Bolsonaro: três mosqueteiros e soldados invernais da direita patropi | Foto: Reprodução

O mundo fantasioso das ideologias

Ernesto Araújo vive no mundo das ideologias — o dos sonhos e ilusões. Não é o mundo real, como sabem Teresa Cristina e Kátia Abreu. Suas guerrinhas têm mais a ver com os devaneios de Olavo de Carvalho, o homem da Virginia, do que com os problemas reais dos brasileiros.

Fora do tempo real, filho de um tempo imaginário, Ernesto Araújo só prejudica o Brasil, os brasileiros. O ponto G do chanceler não é o 5G dos chineses. É a ignorância. Não à toa deu para citar frases em latim — quiçá sem entender que estava se revelando como adorador, consciente ou inconsciente?, do fascismo italiano, o de Benito Mussolini. Talvez ele ache que Mussolini é o Bendito. O latinório é uma prova de sua cultura bacharelesca, não firmada em raízes sólidas, e sim em frases de efeito, que, retiradas do contexto, às vezes nada dizem de relevante.

Tereza Cristina e Jair Bolsonaro: o presidente da República deveria ouvir mais sua ministra da Agricultura, que sabe como funciona a economia real | Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro, nefelibata de primeira linha, talvez não saiba, mas Ernesto Araújo já está “na chom”. No chão. Caiu. Ninguém o quer mais, nem aqui nem na China, e muito menos nos Estados Unidos. O Congresso, da Câmara dos Deputados ao Senado, o rejeita. Diplomatas divulgaram uma carta sugerindo que “Arnesto” é o pior ministro da história do Brasil. O Barão de Rio Branco diria o mesmo, por certo, sobre o Rolando Lero da direita diplomática, quiçá não-diplomática.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.