Euler de França Belém
Euler de França Belém

Anne Applebaum lança livro sobre fome “produzida” na Ucrânia por Stálin

A pesquisadora relata que mais de 3 milhões de pessoas morreram na Ucrânia em decorrência da política stalinista

Anne Applebaum é uma das historiadoras mais notáveis sobre assuntos referentes à União Soviética e Leste Europeu. “Gulag — Uma História dos Campos de Prisioneiros Soviéticos” (Ediouro, 749 páginas, tradução de Mário Vilela e Ibraíma Dafonte) é uma obra-prima, uma referência. Ganhou o Prêmio Pulitzer. Assim como “A Cortina de Ferro — O Fim da Europa de Leste” (Civilização Editora, 697 páginas, tradução de Miguel Freitas da Costa). Sai no Brasil agora “A Fome Vermelha — A Guerra de Stálin na Ucrânia” (Record, 560 páginas, tradução de Joubert de Oliveira Brízida).

Anne Applebaum já ganhou um Pulitzer por um livro sobre o Gulag | Foto: Reprodução

Sinopse da editora: “O horror de um período em que homens e mulheres se animalizaram para sobreviver a um mal sem precedentes. Em 1929, Stálin lançou uma política de coletivização da agricultura que expulsou milhões de camponeses de suas terras e os levou a fazendas coletivas. O resultado foi a mais letal fome na história da Europa, conhecida como Holodomor. Pelo menos 5 milhões de pessoas morreram entre 1931 e 1933 na União Soviética. A região da Ucrânia foi a mais afetada, com mais de 3 milhões de mortos, mas não em decorrência de condições climáticas adversas ou como resultado acidental de uma política catastrófica: o Estado soviético fez uso daquela barbárie para se livrar de um problema político e, em vez de enviar auxílio, trabalhou deliberadamente para exterminar a população ucraniana, fechando as fronteiras da República e confiscando toda a comida disponível”.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Roberto Almeida

Para quem quer ler uma crítica às teorias econômicas de cunho marxista, o Luís Fernando Azevedo Lopes lançou uma coletânea de seus artigos chamada, “A Instituição de Poupança Pública”