Diante da invasão e depredação do Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal (STF) e Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou no fim da tarde deste domingo, 8, a intervenção federal na segurança pública do Distrito Federal.

O decreto vale, em princípio, até 31 de janeiro. Foi nomeado o secretário-executivo do Ministério da Justiça, Ricardo Garcia Capelli, para a função. O interventor ficará sujeito diretamente ao presidente da República, não se remetendo mais ao governo do DF.

Lula, que está em Araraquara (SP), disse ainda que todos os responsáveis serão “encontrados e punidos” de acordo com a lei. O presidente disse que tudo será apurado e que a punição se estenderá até mesmo a membros do governo federal, se houve também conivência dentro da esfera da União.

Na tarde deste domingo, vândalos bolsonaristas invadiram o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Superior Tribunal Federal (STF), depois de marcharem do acampamento em frente ao quartel-general onde se concentravam desde o início de novembro. A Polícia Militar do DF, responsável pela proteção do patrimônio público, estava em número reduzido e praticamente não teve reação.