Welington Peixoto quer quebrar polarização entre Bartô e Cozac em Ipameri

O ex-prefeito é apontado como gestor eficiente, popular e carismático. É apontado como nome forte para a disputa de 2020

Welington Peixoto pode disputar a Prefeitura de Ipameri em 2020 | Foto: Reprodução

A polarização entre Bartô Honório do Nascimento, do DEM, e Ludmila Cozac, do PSDB, pode ser quebrada pela entrada em cena do ex-prefeito Welington Peixoto, no momento sem filiação partidária, mas com partidos disputando o seu passe. A disputa entre os três pela Prefeitura de Ipameri tende a ser um duelo de titãs. (Há quem aposte que Bartô pode sair do páreo para apoiá-lo, aceitando até sua vice. Um jornalista contrapõe: “Anote. Bartô será candidato”.)

Prefeito entre 2001 e 2004, Welington Peixoto ficou caracterizado como “tocador de obras”. Segundo um aliado, na sua gestão, Ipameri conquistou uma unidade da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Empresas, como a Caramuru e a Aldogoeira Califórnia, foram atraídas para o município. O gestor recapeou o calçamento de paralelepípedos do centro.

Empresário e produtor rural, Welington Peixoto foi, antes de ser prefeito, presidente da Associação Comercial e Industrial de Ipameri. Quando candidato, nem aparecia nas primeiras pesquisas, mas cresceu e derrotou Wilson Sugai, que era o favorito. Em seguida, conseguiu fazer o sucessor, Jânio Carneiro, marido da atual prefeita, Daniela Vaz Carneiro.

José Mário Schreiner, Bartô Nascimento, Welington Peixoto e um aliado | Foto: Reprodução

Wellington Peixoto integra o grupo de oposição ao qual pertence Bartô Nascimento. Mas tudo indica que deve formatar um grupo independente para disputar — até porque Bartô não sairá do páreo para apoiá-lo.

Um apoiador de Welington Peixoto afirma que ele não cobrará apoio de Daniela Carneiro, mas gostaria que, como a prefeita tem dito, ficasse neutra na campanha. Politicamente, Daniela Carneiro cresceu depois de ter se tornado primeira-dama, quer dizer, deve sua ascensão política, ao menos em parte, ao empresário do ramo de cerâmica de telhas e tijolos e produção rural.

Conta-se que a mulher e os filhos exigiam que Welington Peixoto não disputasse mais mandatos políticos. Agora, o quadro mudou e ele teria aval familiar para a disputa da prefeitura, em 2020.

Dois políticos, inquiridos sobre a importância do político como gestor, disseram praticamente a mesma coisa. Welington Peixoto (era, na época, do PDT) fazia investimentos na cidade com o dinheiro que a prefeitura arrecadava — não ficara esperando suporte do governo de Marconi Perillo (PSDB). Eles eram opositores. Frisam também que se trata de um político carismático.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.