Aliados do deputado tucano Giuseppe Vecci detectaram que, sem a anuência do governador Marconi Perillo, o presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Anselmo Pereira, estaria tentando “aplicar” um golpe político.

Anselmo Pereira, agindo como uma espécie de laranja, lutaria para ganhar as prévias e, entre maio e junho, alegando que não estaria conseguindo deslanchar — se não deslanchar, é claro —, abandonaria a candidatura, abrindo espaço para outro nome. A agressividade do vereador é vista como suspeita pelos veccistas. “É como estivesse sendo bancado por alguém forte”, sugere um histórico do PSDB.

Tudo, ao final, pode ser mera teoria conspiratória. Mais uma