Adriana Accorsi, Francisco Júnior, Giuseppe Vecci, Luiz Bittencourt e Vanderlan Cardoso: políticos que também são gestores qualificados.
Adriana Accorsi, Francisco Júnior, Giuseppe Vecci, Luiz Bittencourt e Vanderlan Cardoso: políticos que também são gestores qualificados.

Marqueteiros e pesquisadores recomendam duas coisas. Primeiro, os candidatos a prefeito de Goiânia que estão no pelotão intermediário e os que estão mais atrás devem mesmo se apresentarem e, ao mesmo tempo, apresentarem suas ideias para os eleitores. Cobram, porém, que isto seja feito de maneira mais enfática e com o máximo de clareza, sem nenhuma empolação acadêmica.

Segundo, postulam que se deve começar a apresentar as primeiras críticas a Iris Rezende (PMDB) e ao deputado Waldir Delegado Soares (PR). Eles ressaltam que o irismo começa a criticar Waldir Soares, mas os pré-candidatos governistas — Giuseppe Vecci (PSDB), Vanderlan Cardoso (PSB), Francisco Júnior (PSD) e Luiz Bittencourt (PTB) — e a postulante do PT, Adriana Accorsi, ainda não perceberam que têm de fazer o mesmo. Iris Rezende quer descolar-se de Waldir Soares, deixando que fique “brigando” com os demais candidatos, deixando-o livre, rumo ao segundo turno.

Em 2014, os candidatos a governador pelo PT, Antônio Gomide, e pelo PSB, Vanderlan Cardoso, adotaram uma tática político-eleitoral equivocada e suicida. Sem perceber que Marconi Perillo, do PSDB, havia descolado de Iris Rezende, mantiveram suas críticas centradas no tucano-chefe. Quer dizer, no lugar de se ajudarem, contribuíram para levar o peemedebista para o segundo turno, para disputar contra o atual governador de Goiás.

Em 2016, os postulantes governistas e Adriana Accorsi, se errarem, vão adotar a mesma tática de Vanderlan Cardoso e Antônio Gomide. Como a campanha começou agora, quando se prefere nominá-la, legalmente, de pré-campanha, os políticos que querem ser prefeito de Goiânia não definiram suas táticas com precisão. Mas uma coisa é certa: os alvos de Vanderlan Cardoso, Giuseppe Vecci, Luiz Bittencourt, Francisco Júnior e Adriana Accorsi são os mesmos: Iris Rezende e Waldir Soares. Porém, se perceberem que um deles descolou, terão de enfrentá-lo primeiro antes de partir para cima do que descolou.

Há uma regra elementar em política: candidato que está disputando o primeiro turno tem de pensar no primeiro turno. Se ficar pensando em alianças para o segundo turno, aí adotando a tática de preservar o candidato “x” ou “y”, acaba fora da disputa — e, babau, segundo turno. Só se chega ao segundo turno retirando Waldir Araújo ou Iris Rezende do páreo. Recomenda-se, porém, que crítica não é o mesmo que destempero verbal.