Vanderlan Cardoso e Kajuru bebem o vinho da paz e o segundo diz que não disputa prefeitura

O senador critica Iris Rezende e João Doria, que seriam hipócritas, e dois pastores evangélicos

Senadores Vanderlan Cardoso e Jorge Kajuru | Fotos: reprodução

A campanha eleitoral de 2018 transformou os senadores Jorge Kajuru e Vanderlan Cardoso (PP) em “inimigos”. Mas a ira de um contra o outro ficou no passado. Com a convivência no Senado, os dois decidiram beber o vinho da paz. “Presidi o Senado pela sétima vez consecutiva e abri para espaço para Vanderlan se expressar”, conta Kajuru.

Depois, os dois dialogaram e Kajuru diz que Vanderlan Cardoso afirmou”: “Pesquisas mostram que, para prefeito de Goiânia, só dá Kajuru”. Mas o senador do PSB rebate: “Não sou candidato a prefeito de Goiânia. Não nasci para ser João Doria e Iris Rezende, dois hipócritas, que combinam uma coisa com os eleitores e, depois, fazem outra. Em 2016, quando fui candidato a vereador, registrei em cartório que só ficaria dois anos na Câmara Municipal de Goiânia, pois, em 2018, disputaria mandato de senador. Ou seja, eu avisei os eleitores, não enganei ninguém. Como cumpri o que havia dito, os eleitores me colocaram no Senado. Aliás, só não obtive 2 milhões de votos porque dois pastores, vendedores da palavra de Deus, Oídes José do Carmo e Abigail Almeida, fizeram uma campanha cerrada contra mim. Na verdade, eu jamais disse que Deus é canalha. Agora, os que me atacaram não são ateus, e sim atoas”.

Kajuru também fez as pazes com o senador Luiz Carlos do Carmo, por sinal, irmão de Oídes.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.