TSE suspende julgamento de cassação do governador do Tocantins, Marcelo Miranda

A ministra Luciana Lóssio disse que “os elementos probatórios não ostentam a densidade necessária para sustentar a condenação. A Justiça Eleitoral existe para coibir excessos e ilicitudes e não para se sobrepor ao voto popular”

Luciana Lóssio, ministra do TSE, não viu indício de crime contra o governador Marcelo Miranda

O jornalista Rafael Moraes Moura, em reportagem do “Estadão”, publicada na quarta-feira, 29, conta que “o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu” na “terça-feira, 28, o julgamento de uma ação que pede a cassação do governador de Tocantins, Marcelo Miranda (PMDB), e da vice-governadora Cláudia Lélis (PV). O caso foi suspenso depois do pedido de vista do ministro Luiz Fux, vice-presidente da corte eleitoral”.

Cláudia Lélis e Marcelo Miranda: processo sobre a campanha de 2014 está suspenso | Foto: reprodução

Em 2014, quatro pessoas foram flagradas pela polícia, no aeroporto de Piracanjuba, quando embarcavam num avião com 500 mil reais em dinheiro. A Procuradoria Regional Eleitoral no Tocantins percebeu indícios de que seria recursos para a campanha eleitoral de Marcelo Miranda, que era candidato a governador. Segundo a PRE, teria ocorrido abuso do poder econômico. Porém a relatora do processo, a ministra Luciana Lóssio, votou contra a cassação de Marcelo Miranda e de Cláudia Lélis. “Os elementos probatórios não ostentam a densidade necessária para sustentar a condenação. A Justiça Eleitoral existe para coibir excessos e ilicitudes e não para se sobrepor ao voto popular”, frisou a ministra.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.