“Só se fala no nome de Caiado para derrotá-lo”, diz Kátia Maria, do PT, sobre clima na federação

A dirigente petista diz que o diálogo com PV e PCdoB é contínuo, em reuniões semanais, e que Wolmir Amado segue firme na pré-candidatura

Kátia Maria, presidente estadual do PT em Goiás | Foto: Reprodução

A federação de centro-esquerda, fechada nacionalmente entre PT, PV e PCdoB, deixou um dos partidos em uma “saia justa” em Goiás: o Partido Verde está na base de apoio de Ronaldo Caiado (União Brasil) e o presidente estadual, Cristiano Cunha, espera um documento que libere a sigla para apoiar o governador à reeleição.

Em entrevista ao Jornal Opção, Cristiano também fez uma discreta queixa sobre a necessidade de melhorar o diálogo “intra” dos partidos da federação em Goiás.

Presidente do diretório estadual do PT, a professora Kátia Maria diz que as reuniões estão ocorrendo entre os três partidos semanalmente, às segundas-feiras. Ela admite que sempre é um desafio chegar a acordos, mas garante: “Nas reuniões, a gente só fala no nome de Caiado quando a conversa é sobre como derrotá-lo”, diz Kátia.

A dirigente petista vê Wolmir Amado, o pré-candidato do partido ao governo, bastante animado para a postulação. Descrito como pessoa “serena” e “com conhecimento”, o ex-reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) continua como a bola da vez da centro-esquerda no Estado, ainda mais depois da desistência do ex-governador José Eliton (PSB) em bancar a pré-candidatura.

Fontes de vários partidos, no entanto, dizem que a decisão de Eliton pode ser revista. De qualquer forma, nada impede que haja no Estado uma candidatura do PSB e outra da federação puxada pelo PT. “Seriam dois palanques para Lula em Goiás.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.