Sem Kajuru, o PSB se torna um nanopartido em Goiás

Com o general eleitoral, Elias Vaz é “sobre”; sem o senador, o deputado é “sub”, quiçá “sub do sub”

Jorge Kajuru, ex-senador do PSB | Divulgação

O senador Jorge Kajuru deixou o PSB na terça-feira, 2. Pior para quem? Simples: o PSB, sem Kajuru, se torna um nanopartido em Goiânia.

Kajuru não vai dizer, porque o deputado federal Elias Vaz (PSB) é seu irmão por escolha. Mas, se o senador não apoiá-lo para prefeito de Goiânia, estará, em definitivo, fora do páreo. Claro que o ex-líder do Partido Socialista Brasileiro vai bancar Vaz prefeito. Mas, se optar por não fortalecer o partido, o parlamentar possivelmente ficará entre os últimos colocados.

Elias Vaz: sem Kajuru, perderia força em Goiânia | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O senador não é cabo eleitoral. É general eleitoral. Até marechal. Com ele, Elias Vaz é “sobre”; sem ele, é “sub”, quiçá “sub do sub”.

Vários partidos disputam o passe político de Kajuru. O Podemos, que já levou José Antônio Reguffe, quer conquistá-lo. Já. Mas o senador vai esperar, porque pode ficar sem partido.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

JULIANO

Discordo, o Jorge Kajuru atrai muito voto sim! Porém afasta tbm, principalmente no meio político, outra coisa o Elias Vaz já foi o vereador mais votado de Goiânia construiu uma história na capital, estou como Conselheiro Tutelar por quatro mandatos em Goiânia e te falo que o Deputado do PSB tem credibilidade, discurso e densidade eleitoral com o Kajuru ou sem ele, perde muito por um lado, e ganha muito de outro lado.