Secretário diz que Renato de Castro é aprovado por 72% da população e aposta em reversão da cassação

Thalles Moura afirma que a sociedade de Goianésia recebeu com “pesar” a notícia da cassação do prefeito peemedebista

Renato de Castro, prefeito cassado de Goianésia, continua no poder à espera da decisão da segunda instância

O secretário de Comunicação da Prefeitura de Goianésia, Thalles Moura, contesta a nota “Comemoração — Goianésia percebe Renato de Castro como um fato do ‘passado’ e quer retomada do desenvolvimento”, publicada no domingo, 14, pelo Jornal Opção. O texto relata que o gestor peemedebista teve o mandato cassado pela Justiça e, enquanto recorre, permanece no cargo. “Na verdade, a população de Goianésia recebeu a notícia da cassação de Renato de Castro com pesar”, frisa Moura. “Trata-se de um prejuízo histórico para o município.”

Thalles Moura, secretário de Comunicação de de Goianésia: “Renato de Castro reduziu o IPTU e acabou com a ciclovia” | Foto: divulgação

“Cassar Renato de Castro devido a acusação de abuso do poder econômico, quando seu adversário [Jalles Fontoura, do PSDB] é integrante de um dos mais poderosos grupos empresariais de Goiás, chega a ser um contrassenso. Nós acreditamos que, na segunda instância, será possível reverter a cassação”, afirma Moura.

Segundo Moura, a gestão de Renato de Castro está resgatando, “em pouco tempo, os compromissos de campanha”. O secretário assinala que o prefeito mandou retirar a ciclovia parcialmente construída, “atendendo o clamor de mais de 86% dos goianesienses”. O secretário sustenta que a ciclovia contribuía para “travar o trânsito” da cidade. “Nós ouvimos a sociedade”, afirma.

Na gestão do ex-prefeito Jalles Fontoura, garante Moura, “o IPTU era extremamente alto. Os proprietários de alguns prédios comerciais tiveram de pagar impostos com 300% de aumento. O prefeito Renato de Castro, pelo contrário, deu desconto de 40%, com parcelamento em oito meses. Há fila para pagar o imposto”.

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Goianésia era gerida por uma organização social. “Renato de Castro rompeu com a OS e a prefeitura retomou a gestão. No final de semana, a UPA conta com três médicos, o que melhorou o atendimento.”

Moura assegura que Renato de Castro “é um prefeito popular. Uma pesquisa do instituto Directa, encomendada pela CDL, mostra que tem aprovação de 72% da população”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.