O senador Wilder Morais (PL) é um político disciplinado e leal. Se o ex-presidente Jair Bolsonaro permanecer insistindo, o presidente do PL em Goiás vai manter o apoio à candidatura do deputado federal Gustavo Gayer (PL) para prefeito de Goiânia.

Entretanto, se Bolsonaro optar por manter Gustavo Gayer na Câmara dos Deputados — onde opera com grande desenvoltura, de acordo com bolsonaristas —, a tendência é que Wilder Morais seja candidato a prefeito em Goiânia.

Fala-se que Wilder Morais prefere disputar o governo do Estado, em 2026. Procede. Mas, se trocar o projeto pela disputa da Prefeitura de Goiânia — a cidade que sempre sonhou administrar —, poderá contar com uma frente ampla, sobretudo com o apoio do governador Ronaldo Caiado, do União Brasil, e do vice-governador Daniel Vilela, do MDB. Há também a possibilidade de ser apoiado para governador de Goiás, em 2030, tanto por Caiado quanto por Daniel.

Se for eleito prefeito, notadamente se fizer uma boa administração, estará altamente credenciado para a disputa do governo de Goiás em 2030.

A pesquisas qualis mostram que os eleitores de Goiânia cobram um gestor. Pois, além de estar no segundo mandato de senador, Wilder Morais administra uma construtora e vários shoppings. Portanto, é gestor. Dos mais eficientes. Ele se tornou milionário trabalhando na iniciativa privada, e não como político.

A impressão que se tem é que a base governista, ao menos a sua cúpula, não está esperando por nenhum outro candidato — exceto por Wilder Morais. Uma fonte diz: “Quem viver, se quiser, verá”. Portanto, esperemos… para ver. (E.F.B.)