Romário Policarpo transforma Câmara de Vereadores em secretaria de Iris Rezende

Ao assumir a presidência, vereador disse que Legislativo seria independente. Mas agora já é chamado até de Rezendinho

Um vereador diz que o presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo (do “Pros-Iris”), lutou para derrubou o ex-presidente Andrey Azeredo, que era chamado de “secretário” do prefeito Iris Rezende, porque queria se tornar, ele próprio, “secretário” do emedebista.

Outro vereador afirma que o colega às vezes brinca que vai mudar seu nome para Romário “Rezende” Policarpo. Faz sentido. Porque, no lugar de comandar um Legislativo autônomo, como reza a lei, o vereador está subordinando, cada vez mais, a Câmara às ordens de Iris Rezende. “O Romário é, no fundo, irista. Mas sempre posou de quase-oposição para se tornar presidente da Câmara. Agora, que está com a chefia garantida, voltou ao ninho.”

Romário Policarpo é chamado por Iris Rezende, na intimidade, de “Carpa” | Foto: Alexandre Tavares

“Romário Policarpo, vulgo Rezendinho, entra no gabinete de Iris Rezende sem se anunciar. A amizade dos dois surpreende até aliados do prefeito. Na verdade, o vereador admira Iris e tem verdadeira paixão por sua história, tanto que carrega um autógrafo do gestor municipal na carteira. O prefeito o chama de ‘Carpa’”, afirma um aliado que está prestes a romper com o presidente da Câmara.

Na Câmara, Romário Rezendinho teria dado uma ordem para aprovar tudo que for exigido por seu chefe, Iris Rezende. Aprovar a renegociação da prefeitura com os credores? Tudo bem: quem mandou? Iris Rezende? Então, meus amigos, vamos aprovar.

O prefeito Iris Rezende vai contrair empréstimo de 1 bilhão, deixando a prefeitura endividada e arrasada para os próximos prefeitos? Pois é: Romário Rezendinho aprovou, e nem ficou com vergonha. Nomeou aliados na prefeitura? Não se sabe.

Um vereador trabalhou pelo impeachment de Iris Rezende — que não investe o suficiente em educação e não cuida da saúde, talvez por ser conhecido como Sr. Viaduto. Romário Policarpo, que ainda não era conhecido como Rezendinho, aprovou a tese. Depois, ao se tornar Rezendinho — consta que até beija a mão de Iris Rezende quando chega no Paço Municipal —, desistiu da ideia. Se brincar, vai pedir o impeachment do vereador que quer o impeachment do alcaide da capital.

Sobre ter palavra, um vereador diz: “Romário fala uma coisa de manhã, outra à tarde e muda de opinião à noite. Na madrugada, ele descansa a língua para mudar de opinião no dia seguinte”. Outro colega: “O problema de Romário é que usa as pessoas e, depois, descarta. Nem imagina que, mais tarde, poderá ser descartado”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.