Revista Época diz que a Odebrecht deu 500 milhões e Iris Rezende usou o dinheiro pra comprar fazenda

Com patrimônio declarado de 30 milhões de reais, o ex-prefeito de Goiânia também recebeu 200 mil reais da Odebrecht em 2014. Ele afirma que é “honrado”. Wolney Siqueira é citado

Iris Rezende e odebrech investigacao-anossetenta

A revista “Época” publicou uma reportagem bombástica na edição que vai para as bancas no final de semana, mas que foi antecipada para a internet. Sobre o título de “Documentos do SNI mostram corrupção da Odebrecht na década de 1980”, assinada por Alana Rizzo, a matéria explicita que a construtora da família Odebrecht subornou políticos há quase 40 anos. Num trecho, a publicação do Grupo Globo cita Iris Rezende.

“O informe 19/1984 da Agência Goiânia do SNI revela que repasses da Odebrecht ajudaram o pré-candidato à Prefeitura de Goiânia Iris Rezende (PMDB) a comprar uma fazenda no valor de 700 milhões de cruzeiros em Mato Grosso. Segundo o registro, Iris recebeu 500 milhões da empreiteira e usou 400 milhões na compra do imóvel. Iris Rezende é um dos políticos mais ricos do país. Em sua última disputa, declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), R$ 30,9 milhões. Entre os bens: as fazendas Estrela, adquirida em 1982, e Mutirama.”

Iris Rezende e Wolney Siqueira images-1-42-142aaef57f9c822211229dbc14156a030109bcf9

(Na foto: o primeiro é Iris Rezende e o segundo, Wolney Siqueira: aliados políticos)

“Segundo o SNI, duas fazendas foram adquiridas após a posse de Iris em 1983 como governador. Uma em Canarana e outra em Cocalinho, ambas em Mato Grosso. Os imóveis teriam sido comprados com a caixinha de amigos para a campanha e a doação da Odebrecht.Iris Rezende nega qualquer ajuda da empreiteira e afirma que comprou as fazendas antes das eleições e com dinheiro de herança do pai e dos serviços que prestou como advogado. “Não existe um item que possa colocar em dúvida minha honradez na política”, disse Iris Rezende, afirmando que não conhecia empresários na época e que só veio a contar com a ajuda de empreiteiras a partir das eleições para o Senado em 1994. Na campanha de 2014, a Odebrecht doou R$ 200 mil para sua campanha.”

O ex-deputado Wolney Siqueira, pai do ex-deputado Waguinho Siqueira e ex-secretário de Ary Valadão e aliado de Iris Rezende, também é mencionado pelo SNI. O relato de “Época”: “O informe 68/83 do SNI diz que o deputado Wolney Siqueira, do então PDS, recebeu ‘ajuda’ de 500 milhões de cruzeiros  para o custeio de sua campanha em 1982 da Odebrecht, que tocava obras da Hidrelétrica do Rio Corumbá. Wolney, na época, era secretário de Minas e Energia do Estado de Goiás. O SNI afirma que o então secretário cometeu atos de corrupção à frente da Pasta”.

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Miriam Almeida

Quando foi nomeado Ministro da Agricultura no governo Itamar Franco, foi pra se livrar da CPI que investigava a Falência do Beg e da Caixego. E ninguém ficou revoltado!

Valeska

500 milhões de ajuda?! :-o ?