PTN e PHS, de partidos pequenos, podem se tornar partidos médios na Câmara dos Deputados

Os dois partidos podem somar, cada um, ao final da verdadeira guerra que se trava em Brasília, de 14 a 15 deputados federais

Eduardo Machado 1 12311300_10208061874647627_8491705133623334665_n

PTN e PHS são partidos apontados como nanicos. Porque nanicos são. Porém, com as mudanças geradas pela janela do troca-troca partidário, podem deixar de ser crianças para se tornar adolescentes — quer dizer, de pequenos, podem se tornar médios. Se brincar, viram adultos em 30 dias.

Especialistas em política dizem que a tendência é que PTN e PHS fiquem, cada um, com 14 ou 15 deputados federais.

O presidente nacional do PHS é o goiano Eduardo Machado (foto, ao lado do governador de Goiás, Marconi Perillo; do seu Facebook) — que, afirma um deputado federal goiano, está “contentíssimo”. Ele praticamente mudou-se para Brasília e recebe tantos políticos que o hotel onde está hospedado é chamado por deputados e senadores de “Palácio do Planalto Alternativo”.

A guerra em Brasília está feia. E os líderes dos partidos não arredam pé da cidade, com receio de perder deputados federais e senadores.

Ninguém diz que está rolando dinheiro, para segurar parlamentares, mas muitos asseguram que promessas, das mais agradáveis, estão sendo feitas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.