O parlamentar tucano diz que Michel Temer precisa ter cuidado com as cascas de banana que estão sendo deixadas por Dilma Rousseff

Deputado federal Fábio Sousa | Foto: reprodução
Deputado federal Fábio Sousa, do PSDB: “Superior a Nelson Barbosa, Henrique Meirelles pode consertar a economia do país” | Foto: reprodução

O deputado federal Fábio Sousa disse ao Jornal Opção que a presidente Dilma Rousseff “está, politicamente, liquidada. O Brasil vive o paradoxo de ter uma presidente que não mais governa e um vice-presidente que ainda, sem a definição do impeachment pelo Senado, não pode assumir. Mas é melhor mesmo não ter Dilma Rousseff no poder”.

Fábio Sousa afirma que a saída de Dilma Rousseff e a posse de Michel Temer, este mês, “geram esperança. Temer tem mais credibilidade do que a petista, mas precisa escolher muito bem seus auxiliares. Um ministério de notáveis reforçará a esperança e a credibilidade local e internacional do governo”.

A escolha de Henrique Meirelles para o Ministério da Fazenda é, para Fábio Sousa, “positiva. O ex-presidente do Banco Central tem mais credibilidade do que o ministro Nelson Barbosa. Sabe-se também que, ao contrário do atual ministro, possivelmente terá liberdade para gerir a economia, com a adoção das medidas necessárias, e certamente não ficará subordinado a decisões meramente políticas ou politiqueiras”.

Michel Temer precisa ter um certo cuidado, pois, antes de deixar o governo, Dilma “vai colocar cascas de banana no seu caminho. Hoje, a petista está mais preocupada em inviabilizar o governo de Temer do que com a economia do país, com sua estabilidade”.

O parlamentar tucano frisa que, na Câmara dos Deputados, há, hoje, três tipos de petistas. “Há os constrangidos, há os desanimados e há os desesperados. Estes, longe de encarar os fatos, a verdade, querem ir para o confronto.”

Sobre os movimentos sociais, Fábio Sousa afirma que “têm o direito de protestar contra o que quiser, pois o Brasil é uma democracia, mas não podem extrapolar, desrespeitando as leis”.

Fábio Sousa diz que há um aspecto pouco discutido: “O PT está há 13 anos e quatro meses no poder e o MST ainda informa que há muitas pessoas sem terra. Isto quer dizer que o PT não soube ou, quem sabe, não quis fazer a reforma agrária”. O PT prefere manter o MST como uma força militante, uma espécie de exército vermelho? “É possível”, admite o deputado.

A respeito do ex-presidente Lula da Silva, Fábio Sousa diz que, até agora, tem se comportado como “animador de torcida”. “Se pensar no país como estadista, Lula vai optar pela moderação. É preciso unir o país, reduzir as fraturas políticas e sociais.”

Perguntado sobre as eleições para prefeito de Goiânia, Fábio Sousa frisou que os eleitores estão de olho mais no impeachment de Dilma Rousseff do que nas disputas municipais. “Em agosto, o país terá as Olimpíadas, com cobertura maciça dos programas de televisão, por isso os eleitores vão se interessar por eleições só a partir de setembro.”