Prisão de Wesley Batista pode selar fim do comando da família Batista na JBS-Friboi

O operador da JBS-Friboi na área financeira, Wesley Batista é suspeito de manipulação do mercado financeiro

Wesley e Joesley Batista: irmãos, presos, devem perder comando da JBS-Friboi | Foto: Reprodução

A Polícia Federal prendeu na quarta-feira, 13, o empresário Wesley Batista, apontado como o principal dirigente da holding J&F (José e Flora, o nome dos pais dos irmãos Batista), que comanda o grupo JBS-Friboi.

Wesley Batista, principal operador financeiro do grupo JBS-Friboi, “é investigado por manipulação do mercado financeiro, por suposto lucro obtido com venda de dólares às vésperas de divulgação da delação da J&F”, relata o jornal “O Estado de S. Paulo”.

A prisão de Wesley Batista sela seu destino no comando do grupo. Dificilmente será mantido na sua direção.  A tese predominante no mercado: ou os Batista saem do comando da JBS-Friboi, e das outras empresas do grupo, ou o grupo vai soçobrar no Brasil e no exterior (os americanos, por exemplo, não aceitam “ex-presidiários” no comando de empresas). Joesley e Wesley Batista não têm mais credibilidade para dirigir as várias empresas (concentradas sob o comando da holding J&F). Veja-se o caso de Marcelo Odebrecht. O empresário não poderá mais voltar ao comando das empresas do grupo Odebrecht.

O pai de Joesley e Wesley, José Batista Sobrinho, o Zé Mineiro, que começou com um açougue, em Anápolis, ainda não está sendo investigado pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. Mas, como um dos sócios do grupo, certamente será o próximo a entrar na lista dos investigados. Quem o conhece afirma que é bem informado e sabe tudo sobre os negócios do grupo. “Não é um velhinho aposentado. É o principal conselheiro dos filhos”, afirma um advogado.

José Batista Júnior, o Júnior do Friboi, não está sendo investigado. Até porque saiu do grupo há alguns anos. Não se sabe os motivos exatos de sua saída da JBS-Friboi — teria deixado o empreendimento com uma fortuna avaliada em 12 bilhões de reais –, mas seu novo modelo de negócio é similar ao da JBS. Seu frigorífico Mataboi vai de vento em popa e está criando gado em várias fazendas, em Goiás e em São Paulo. Tudo indica que seu objetivo é construir uma nova JBS. Saberia da possibilidade de decadência do grupo? Não se sabe.

Júnior Friboi também está atuando na área da construção civil, ao lado do empresário Ilézio Inácio Ferreira (ele são os chefões do empreendimento Nexus, entre os setores Sul e Marista). Por enquanto, assim como pai, não está sendo investigado.

Não há notícia de participação de Joesley e Wesley nos negócios de Júnior Friboi e, mesmo, de Ilézio Inácio Ferreira. Consta que Júnior Friboi mantém ligações estreitas com o pai, Zé Mineiro, e razoáveis com Wesley Batista. As relações não seriam muito boas com Joesley Batista.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.