Prefeitos eleitos pelo DEM e pelo PMDB já tentam se aproximar do governador Marconi Perillo

Muitos dos eleitos pelos dois partidos não são adversários do tucanato. Disputaram pela oposição por divergências locaisjoao-do-leo-e-fabio-sousa-14520548_1780387515543679_5611832921672899095_n

O governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB, tem recebido dezenas de pedidos de audiências de prefeitos eleitos em 2 de outubro.

Curiosa ou sintomaticamente, os mais insistentes são filiados ao PMDB de Daniel Vilela e ao DEM do senador Ronaldo Caiado. Muitos deles acenam, mesmo sem terem sido convidados, com a possibilidade de mudança de partido. Eles admitem que poderão ir para um partido da base do governo.

O que isto significa? Que a maioria dos prefeitos, até por realismo, não consegue ficar longe da sombra do governo e, sobretudo, que muitos dos recém-eleitos estão no PMDB e no DEM mais por uma questão local do que por ter rivalidade incontornável com a base do governador tucano.

João do Léo, de Pirenópolis, foi eleito prefeito pelo DEM, mas não tem identidade alguma com o partido e com Ronaldo Caiado. Tem mais afinidade com políticos ligados ao governador Marconi Perillo — como o deputado federal Fábio Sousa, do PSDB, que o bancou.

(Fotos acima: comício de João do Léo, com a presença do deputado federal Fábio Sousa. Fotos: Facebook de Fábio Sousa.)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.