O Podemos deseja reforçar a sua bancada na Câmara Municipal de Goiânia e poderá contar com o retorno de um “velho conhecido“. Trata-se de Ronilson Reis, que esteve filiado a sigla até o ano passado e depois foi para o Partido da Mulher Brasileira (PMB). Além dele, Leandro Sena também possui “conversas bem adiantadas” para se juntar ao projeto político.

Com a possível adição dos dois vereadores, o Podemos terá a segunda maior bancada parlamentar da Casa com quatro vereadores. Além de Ronilson e Sena, o partido tem as mandatos de Welton Lemos e Léia Klebia.

Apenas o Movimento Democrático Brasileiro (MDB) teria mais cadeira ocupadas com seis. Em seguida, apareceria o Republicanos e o Solidariedade com três representantes cada.

Em contato com o Jornal Opção, Sena confirmou que as negociações para entrar no partido estão avançadas. Ele também acrescentou que o outros políticos poderão se juntar a sigla, além da dupla que era do PMB.

Reforços de peso

Para o vereador Welton Lemos, a notícia de que os dois parlamentares iriam para o Podemos é animadora. “Chegou para mim essa informação, mas os dois seriam bem-vindos. São dois nomes muito interessantes para o Podemos”, contou.

Entretanto, ele disse que ainda não conversou com os dois a respeito da mudança. Além de destacar que a decisão do retorno não depende dele, mas das lideranças municipais e estaduais do partido

Vai e vem da Câmara

Atualmente, a Câmara Municipal possui três vereadores sem partido: Ronilson Reis, Leandro Sena e Geverson Abel. Os dois primeiros eram do PMB, mas anunciaram saída da sigla após denúncia de agressão envolvendo o presidente estadual Santana Pires. Na ocasião, o líder da legenda em Goiás teria feito ofensas e quase agrediu fisicamente uma servidora da Casa.

Já o caso de Geverson Abel é diferente. O parlamentar deseja seguir o grupo político do ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, que está de saída do Patriota para voltar ao MDB.

Lembrando que outros parlamentares também poderão mudar de partido futuramente visando as eleições municipais do próximo ano. (F.V.)