PF investiga o governador do Tocantins, Mauro Carlesse. Agentes estão na sua casa e no palácio

Autorizada pelo STJ, a Polícia Federal apura a contratação de funcionários fantasmas pela gestão do líder do DEM

Mauro Carlesse, governador do Tocantins: investigado pela Polícia Federal | Foto: Josy Karla

A história se repete no Tocantins: como diria Marx, como tragédia e farsa. Depois da prisão de Marcelo Miranda, sob acusação de corrupção, a Polícia Federal fez, nesta manhã de terça-feira, 17, uma operação de busca e apreensão contra o governador do Tocantins, Mauro Carlesse, do DEM, na sua casa no Palácio Araguaia, em Palmas. Ele é suspeito de desviar recursos na contratação de funcionários fantasmas.

O Superior Tribunal de Justiça emitiu os mandados de busca e apreensão. Porque Mauro Carlesse, sendo governador, tem foro privilegiado. A investigação atinge outras pessoas. “O Globo” informa que “a investigação suspeita que houve contratação de funcionários fantasmas para desvio de dinheiro usado na obtenção de apoio político na campanha eleitoral de 2018, que elegeu Carlesse. Os crimes investigados são peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A operação foi batizada de Assombro”.

No site da Polícia Federal informa-se que, “além da obtenção de novas provas, com as ações de hoje, busca-se interromper a continuidade das supostas ações criminosas, delimitar a conduta dos investigados, melhor dimensionar a quantidade de funcionários ‘fantasmas’, identificar e recuperar ativos frutos dos desvios, além de resguardar a aplicação da lei penal”.

Prisões anteriores

No Tocantins parece uma crônica anunciada: os ex-governadores Marcelo Miranda e Sandoval Cardoso foram presos, mas depois liberados. O ex-governador Wilson Siqueira Campos também foi investigado.

“O Tocantins parece que está imitando o Rio de Janeiro”, lamenta um deputado estadual.

Operação Assombro

A Polícia Federal informa que “o nome da operação é uma referência a existência de ‘fantasmas’ no governo estadual”.

Reposta do governador

Em resposta, a assessoria do governador Mauro Carlesse informou que seu governo rompeu com práticas antigas da política e que tem trabalhado para retomar o crescimento do estado. Confira na íntegra a nota do governo do estado:

O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, refuta qualquer tentativa de ligação de sua gestão às velhas práticas políticas do uso de servidores fantasmas. Pois foi justamente a gestão Mauro Carlesse que pôs fim a esses antigos métodos utilizados pelos grupos políticos que passaram pelo Tocantins no passado recente.

Foi a gestão Mauro Carlesse que encontrou o índice de gasto com pessoal em 58,22% em abril de 2018, quando da cassação da gestão anterior e da posse do atual Governador.

Foi a gestão Mauro Carlesse que teve atitude de enfrentar o problema do desenquadramento na Lei de Responsabilidade Fiscal, promover a Reforma Administrativa e reduzir consideravelmente o gasto com folha de pagamento, cortando 50% dos contratos temporários e 30% dos cargos em comissão, além de reduzir outras despesas do Governo, para reenquadrar o Tocantins na Lei de Responsabilidade Fiscal. Medidas essas que resultaram no resgate da credibilidade do Estado e recolocam o Tocantins entre os entes da Federação com melhor condição de equilíbrio fiscal.

O governador Mauro Carlesse reitera que, mesmo a contragosto de antigas forças políticas, prosseguirá com o trabalho de recuperação das contas públicas do Tocantins, visando à retomada dos investimentos, a geração de empregos e oportunidades e a melhoria na qualidade vida da população.

Secretaria da Comunicação

Governo do Tocantins

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.