Pesquisa Serpes, que aponta que Caiado pode ser eleito no 1º turno, prova acerto de sua comunicação

O sucesso do governo se deve à gestão eficiente de Ronaldo Caiado. Mas é possível sugerir que a comunicação acertou ao mostrá-lo como administrador diferenciado

Por que o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, lidera todas as pesquisas de intenção de voto para a disputa eleitoral deste ano? Primeiro, porque faz um governo avaliado como sério — a ética de sua gestão é a decência sem concessões — e preocupado com as pessoas. Segundo, porque, como político, é hábil e agregador. Sua aliança é ampla e tende a encorpar ainda mais. Terceiro, a imagem de um governo diferenciado, mais preocupado com as pessoas — tanto que a educação passou a ser a melhor do Brasil, a segurança pública é eficiente e o setor de saúde é de qualidade —, está cristalizada na sociedade.

Tony Carlo: jornalista | Foto: Facebook

Claro que Ronaldo Caiado, como governador, é o principal responsável por sua gestão. Mas há aqueles que às vezes nem aparecem, e nem sempre são compreendidos — inclusive por causa da cobrança na agilidade e eficácia das ações —, mas também têm sua cota de responsabilidade no sucesso do governo. A rigor, o governo funciona bem como um todo. Mas, como secretário de Comunicação — agora, ex —, o jornalista Tony Carlo zelou da imagem do governo à perfeição. E, por ser um jornalista da área de política, também soube dar um verniz político (mas não politiqueiro) à comunicação, que, longe de tão-somente marquetear, transmitia informações precisas à sociedade (tanto que ela mostra que está bem-informada a respeito do governo e do governador — daí sua alta aprovação nas pesquisas). No relacionamento com os veículos de comunicação, cujos dirigentes foram tratados de maneira republicana — e com diplomacia —, o jornalista também se saiu muito bem.

Durante anos, Tony Carlo trabalhou com Ronaldo Caiado em Brasília, quando o líder do DEM era deputado federal e senador. O jornalista trabalhou também como presidente nacional do DEM, ACM Neto, e com o ex-ministro da Educação Mendonça Filho — no Congresso Nacional. Antes, passou pela redação de jornal. No Congresso, amadureceu o seu entendimento do fazer político, da arte das articulações. Ao assumir a Comunicação do governo de Goiás, convidado por Ronaldo Caiado, acertou-a. Conseguiu definir que, para um governo diferente — que defende, na prática, que o dinheiro público precisa ser tratado com zelo absoluto —, era preciso fazer uma comunicação diferente. Acertou a mão. Tanto que a pesquisa Serpes/Acieg, divulgada na quarta-feira, 26, mostra que Ronaldo Caiado pode ser reeleito no primeiro turno.

Tony Carlo deixou o governo na terça-feira, 25. E no melhor momento dele — aos 40 anos de idade (a idade da razão, diria Jean-Paul Sartre) — e do governo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.