Pesquisa diz que fato novo é a ascensão vertiginosa de Vanderlan Cardoso, mas jornal omite informação

Vanderlan Cardoso: interpretação de “O Popular” não fez jus à qualidade da pesquisa Serpes e deixa de registrar quem de fato cresceu, o postulante do PSB. É um grave equívoco jornalístico

Vanderlan Cardoso: interpretação de “O Popular” não fez jus à qualidade da pesquisa Serpes e deixa de registrar quem de fato cresceu, o postulante do PSB. É um grave equívoco jornalístico

Pesquisas quantitativas demandam leituras qualitativas. “O Popular”, ao publicar uma pesquisa de intenção de voto — feita pelo Serpes entre 10 e 12 de agosto — sobre a disputa pela Prefeitura de Goiânia, não quis ou não soube fazer uma leitura qualitativa dos dados. Editorialmente, não soube explorar a competência de um dos institutos mais sérios do Estado. Assim, desmereceu sua própria pesquisa.

Na primeira página, “O Popular” publicou a manchete “Iris lidera com 11 pontos à frente de Waldir” e, na página 6, outra manchete favorável ao peemedebista: “Iris lidera com folga”. A rigor, as informações não são falsas e não se pretende, portanto, questionar a seriedade editorial do jornal. O que se quer realçar é sua miopia jornalística ao examinar os dados apurados pelo Serpes. Primeiro, não se trata de uma “folga” tranquila — a diferença entre Iris Rezende e o segundo colocado, Waldir Delegado Soares, do PR, é de apenas 11,3%. Nada intransponível, sobretudo se se considerar que a campanha está apenas começando.

Segundo, somando as intenções de voto de Waldir Soares e Vanderlan Cardoso, do PSB, chega-se a um número mais expressivo do que o de Iris Rezende — 37,4%. Ou seja, o peemedebista tem 5,5% a menos do que os dois adversários. Somados todos os candidatos, chega-se a 48%, quer dizer, 16,1% a mais do que tem o ex-prefeito de Goiânia.

Uma edição mais cuidadosa, atenta aos números do Serpes, diria o óbvio: os fatos novos são a ascensão vertiginosa de Vanderlan Cardoso — que descolou de Adriana Accorsi, do PT, e aproximou-se de vez de Waldir Soares — e a estagnação do postulante do PR. Estagnação com sintoma de queda.

O candidato do PR tem 20,6% e Vanderlan Cardoso obteve 16,8% — uma diferença de 3,8%. Como a margem de erro da pesquisa é de 4,38%, os dados levam à conclusão de que Waldir Soares e o postulante do PSB estão tecnicamente empatados.

A omissão mais grave de “O Popular” é que não informou que, na verdade, Iris Rezende, embora tenha descolado de Waldir Soares, praticamente não cresceu. Um político que foi prefeito de Goiânia três vezes, governador de Goiás duas vezes, ministro de dois governos, senador e deputado ter apenas 31,9% numa pesquisa de intenção para prefeito é um mau sinal. E sua rejeição — de 26,7% — é alta. A de Vanderlan Cardoso, de 12,4%, é menor 14,3% do que a do peemedebista.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.