Perdigão vai fechar unidade de Jataí até 30 de junho. Motivos são custos altos e faturamento baixo

Empresário diz que, além de desarticular os negócios dos produtores de frangos, a saída da Perdigão deve desempregar de imediato duas mil pessoas

Perdigão 1 perdigao-brf-jatai-site-panorama-810x375

*Atualizada às 18 horas

Um dos maiores empresários do Sudoeste disse ao Jornal Opção que a Perdigão de Jataí vai fechar as portas no dia 30 de junho deste ano. “Ao todo, mais de 2 mil pessoas devem ficar desempregadas — 700 são empregos diretos — e sem possibilidade de obter novo trabalho nos próximos meses, dada a crise da economia”, afirma. “Sem contar que, prejudicando os produtores de frangos, a saída da empresa desarticula a economia local.”

A BRF, dona da marca Perdigão, afirma, por sua vez, que apenas 550 funcionários trabalham na unidade e apenas estes poderão ser prejudicados com a medida — e não 2 mil, conforme informou o empresário à reportagem.

“Em decorrência do processo de reavaliação e otimização do nosso parque fabril, estamos revendo o escopo da unidade produtiva de Jataí, Goiás. Nesse processo, tomamos a decisão de que a partir de 30 de junho, vamos reduzir gradativamente os volumes produzidos nessa unidade”, afirmou a BRF, em nota. É a “linguagem do eufemismo”, no entendimento do empresário.

A BRF acrescenta: “É importante ressaltar que a unidade não será vendida. O local ficará temporariamente desativado, com manutenção regular, e o retorno das operações será avaliado pela empresa oportunamente”. Em Jataí, ao menos, os produtores não acreditam na retomada dos negócios — dado o fato de a BRF considerar a unidade do município como uma das menos produtivas e, portanto, menos lucrativas.

Quanto aos trabalhadores, a BRF acena com a possibilidade de que poderão ir para outras unidades. O problema é que parte não quer mudar de cidade e há outros empecilhos, como falta de “espaço” em outras unidades. Diz a nota da empresa: “Os funcionários que trabalham atualmente na unidade poderão ser integrados em outras unidades produtivas”. Mas a BRF faz uma ressalva: “Dependendo da disponibilidade de vagas e posições equivalentes”.

O empresário declara que as informações da Perdigão são relativamente vagas. “O que se sabe é que, como a unidade é considerada pequena, tem sido apontada como menos lucrativa do que outras, que serão mantidas. Seus custos são tidos como altos, sem faturamento compatível. A intenção da Perdigão era ampliar a unidade para produzir 360 mil frangos por mês. Hoje, a empresa está abatendo cerca de 80 mil frangos.”

A Perdigão instalou-se em Jataí em 2005, depois de comprar uma empresa de abate de frangos do empresário e produtor rural Victor Priori.

A empresa, que mantém sua principal unidade em Rio Verde, é apontada como saudável financeiramente. E é uma das maiores compradores de milho do Estado. Além, claro, de ser a maior produtora de frangos da região.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
a verdade nua e crua

lembrando a todos vocês, que esta crise da economia foi causada por esta quadrilha que está sendo desmascarada todos os dias. Lula e Dilma não possuem uma ação penal se quer. Foram alvos de teoria conspiratórias anti patriotas. Lula retornará e mudará os rumos de nossa economia. FORA TEMER GOLPISTA! FORA CUNHA, FORA RENAN, FORA LADRÕES!