Parte do PMDB acha que caso Odebrecht abalou Daniel Vilela. Parte avalia que contaminação é geral

Deputado federal Daniel Vilela | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

As facções que compõem o vilelismo — hoje mais forte do que o irismo — apostam em duas vertentes. A primeira sugere que o caso Odebrecht abalou a candidatura de Daniel Vilela ao governo. Não pela denúncia em si, mas devido ao fato de que o deputado federal do PMDB teria ficado arrasado e, sobretudo, porque perdeu o discurso de que é “limpo”. Portanto, urge encontrar novo postulante.

Mas a segunda avalia que a denúncia não é gritante e, que estando quase todos contaminados, é preciso bancar Daniel Vilela, porque pelo menos representa o novo. É a primeira vez, em quase 20 anos, que o PMDB apresenta um nome novo para a disputa. Quando apresentou nomes “velhos”, perdeu cinco vezes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.