O MDB vai se tornar o balão de oxigênio do PSDB em Goiás?

Pesquisa indica que os eleitores, notadamente no interior, estão notando aliança entre grupos de Daniel Vilela e Marconi Perillo

Daniel Vilela e Marconi Perillo: aliança política em 2020 | Foto: Reprodução

Na semana passada, uma pesquisa qualitativa mostrou um quadro para o qual o presidente do MDB em Goiás, Daniel Vilela, talvez, se quiser, precisa ficar atento. Começa a cristalizar a tese, ao menos no interior, de que o partido presidido pelo jovem ex-deputado federal está trabalhando para “ressuscitar” o grupo do ex-governador Marconi Perillo.

Lissauer Vieira e Juraci Martins: o ex-prefeito está próximo de Marconi Perillo | Foto: Reprodução

Daniel Vilela e Marconi Perillo estariam operando alianças políticas em várias cidades, tendo em vista as eleições para prefeito, mas que poderiam ser ampliadas para a disputa eleitoral de 2022. Em Rio Verde, Marconi Perillo estaria operando uma aliança ampla entre o PSDB, o MDB e o PSD para disputar contra o prefeito Paulo do Vale, do DEM. O candidato será o médico Juraci Martins, com um vice do MDB, Osvaldo Júnior, e há indícios de que o ex-governador, na hora agá, vai retirar o pré-candidato do PSDB, Clailton Filho, para bancar a frente de oposição ao gestor municipal. Ele teria dito a um político do município, numa reunião em Goiânia, no seu escritório, que o objetivo é derrotar o candidato do governo em Rio Verde. Portanto, teria acrescentado, não importa se o candidato é do PSD e o vice é do MDB.

André Pio: pré-candidato a prefeito de Pirenópolis em parceira com um político do MDB | Foto: Euler de França Belém/Jornal Opção

Em Pirenópolis, uma de suas bases eleitorais, Marconi Perillo está articulando uma chapa com o vereador André Pio, do PSDB, para prefeito e Paulo Daiam, do MDB, para vice. A chapa também pode ser invertida, com Paulo Daiam para prefeito e André Pio para vice-prefeito.

O que se comenta, portanto, é que o MDB, depois de ficar 20 anos fora do poder, por causa de Marconi Perillo, agora está contribuindo para fortalecê-lo para a disputa de 2022. Ainda que o tucano esteja dizendo aos aliados que irá disputar mandato de deputado federal.

Em Anápolis, o pré-candidato do PSDB a prefeito, João Gomes, tentou se aproximar do pré-candidato do PT, Antônio Gomide — sugerindo que poderia ser seu vice —, mas levou um chega-pra-lá federal. O petista rejeitou a oferta de aliança, pois prefere compor com o PSD de Vilmar Rocha ou com o MDB de Daniel Vilela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.