MP diz que veto a uso de dinheiro público no Carnaval de Goianésia decorre de decisão judicial

Promotores dizem que o Ministério Público “não é nem nunca foi contrário à realização do carnaval, mas”, dada a frise financeira da prefeitura, “contestava o uso de recursos públicos na festa”

Promotores de justiça de Goianésia: reunião que definiu a realização do Carnaval | Foto: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Goianésia

A Assessoria de Comunicação do Ministério Público enviou para a redação do Jornal Opção uma nota de esclarecimento sobre o Carnaval de Goianésia em 2017. A nota é publicada integralmente abaixo.

Nota do Ministério Público

“A respeito da nota publicada no online do Jornal Opção no dia 18/2, às 19h07 sobre a questão do carnaval de Goianésia, a Assessoria de Comunicação Social do MP-GO esclarece que a deliberação da prefeitura de não utilizar recursos públicos na festa não decorre de uma questão de conveniência discricionária, mas de uma determinação judicial, em liminar concedida pelo Poder Judiciário em ação cautelar proposta pelos promotores da comarca, conforme pode ser verificado na notícia publicada no site do MP.

“Salientamos ainda que, desde o primeiro momento dos questionamentos apresentados pelos promotores quanto ao custeio da folia, eles foram categóricos em reiterar que o MP-GO não é nem nunca foi contrário à realização do carnaval, mas contestava o uso de recursos públicos na festa, diante do cenário de crise financeira do município. Assim, a realização do festejo sem uso de verba pública significa o cumprimento de uma ordem judicial e uma vitória da tese do MP-GO.”

Ana Cristina é assessora de imprensa do Ministério Público.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.