A possibilidade de o governador de Goiás, Marconi Perillo, disputar a Presidência da República é cada vez mais comentada no país. Na sua recente turnê por Amapá e Roraima, o tucano-chefe foi recebido como chefe de Estado (nacional). Sua gestão é bem conhecida e merece elogios. Não há quem não pergunte sobre a ação das organizações sociais na saúde, a respeito do Crer e do Hugol. Querem saber também do andamento do projeto de OSs na área da Educação.

Políticos do Amapá e Roraima sugeriram que, como o senador Aécio Neves e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, estão em baixa, Marconi Perillo pode ser a aposta do PSDB para presidente. Seria a ascensão do “novo” com “experiência” e “competência administrativa”.