Marconi Perillo com FHC e Akckmin IMG-20150514-WA0003

O governador Marconi Perillo é sempre preocupado em deixar algumas marcas nos seus vários governos. A principal talvez tenha permeado do primeiro ao quarto governo: a ideia de necessidade da modernização da economia e das práticas políticas. A modernização como uma coisa incontornável. Não dá para recuar — é o seu recado.

Para o quarto governo, que acaba de completar um ano, Marconi Perillo quer firmar a marca de que é um político que dialoga e busca o consenso com praticamente todos os setores da sociedade. Com, claro, os que querem dialogar — porque há setores refratários ao debate aberto e livre, devido às amarras político-ideológicas (muito do que parece da defesa da sociedade resulta do jogo ideológico).

Governador Marconi com a Presidenta Dilma no Lançamento do BRT fotos Eduardo Ferreira
Presidente Dilma Rousseff, do PT, com o governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB/ Foto de  Eduardo Ferreira

Conversar e buscar o consenso, para fazer o Estado avançar, crescendo e se devolvendo, já eram marcas do governo anterior. No governo atual, mesmo quando há resistências, o tucano-chefe busca sempre o consenso. Ele apresenta suas ideias, incorpora novas ideias, mesmo contrárias às suas, admitindo que à sociedade democrática é vital o consenso, ainda que este, por vezes, tenha de ser obtido por meio do conflito. Buscar o consenso não significa, por outro lado, aderir às teses populistas e ficar paralisado. O tucano-chefe é obstinado e trabalha, de maneira incansável, para implantar suas ideias e colher resultados o mais rápido possível.