Kajuru diz que pretende ficar no PSB mas admite que recebeu convite do Podemos

O senador afirma que Bolsonaro acatou sua ideias sobre o projeto de armas e vai sancionar projeto sobre hospital para diabéticos

O presidente do PSB, Carlos Siqueira, sugeriu que o senador Jorge Kajuru deixe o partido, porque não teria acatado decisão de não apoiar o projeto de porte de armas do governo do presidente Jair Bolsonaro. Kajuru disse ao Jornal Opção na sexta-feira, 28, que, apesar da indicação pela saída, “os principais nomes do Partido Socialista Brasileiro” querem mantê-lo. “O próprio Carlos Siqueira gosta de mim e eu gosto dele. Carlos aprecia livros que leio e músicas que escuto.” Na próxima semana, uma reunião vai discutir o assunto. “O partido inteiro sabe que sou decente.”

Jair Bolsonaro e Jorge Kajuru: senador diz que influenciou o presidente

“Tenho inimigos, canalhas ao extremo, que, aliás, escolhi. Tenho orgulho de tê-los como inimigos. Adeptos do jogo sujo, mandam seus asseclas enviarem coisas para a imprensa me atacando. Devo esclarecer os fatos, em atenção aos que me respeitam e me admiram — como Ivan Lins, Heraldo Pereira e Luiz Datena Júnior. O que quero dizer é: não sou da cozinha do presidente Jair Bolsonaro, não sou amigo dele, nem pertenço ao seu grupo político. Só falei com Bolsonaro uma vez, porque ele me chamou para discutir o projeto de armas e para saber quais projetos tenho no Senado. Na verdade, no lugar de apoiar o seu projeto, apresentei ideias que, a rigor, foram aproveitadas — como reduzir o calibre, a potência das armas. Bolsonaro foi gentil comigo, respeitoso. Não posso deixar de apreciar o fato de que Bolsonaro vai sancionar o meu projeto de hospitais para diabéticos em todo o Brasil (tendo como modelo o de Goiânia, que funciona bem). São quase 30 milhões de diabéticos no país. O presidente também sugeriu que vai manter o Fundeb, outro projeto meu que garante milhares de crianças nas escolas. Portanto, se o presidente está tratando bem milhões de brasileiros, por que vou tratá-lo mal? Não vou. Há um vídeo de Bolsonaro falando disso. Quando o presidente errar, vou criticá-lo, mas com respeito, sem desqualificá-lo. Se acertar, elogio. Quero ser justo sempre”, afirma Kajuru.

Carlos Siqueira: Kajuru diz que tem afinidades com o presidente do PSB | Foto: Jornal Opção

O senador do PSB frisa que Bolsonaro voltou atrás, na questão das armas, depois de uma conversa com ele. “Na verdade, eu influenciei a decisão do governo. Por isso fiquei triste com a cúpula do PSB sugerir minha saída. Quatro partidos — como o Podemos, do senador Álvaro Dias — já me ofereceram espaço. Mas tenho certeza que vou continuar no PSB, pois tenho amigos no partido. São pessoas com as quais tenho identidade total. Posso citar o Elias Vaz, o Júlio Delgado, a Leila do Vôlei, o Alexandre Molon, o Veneziano Vital do Rego, o Lúcio Flávio, o Aliel Machado, com os quais me identifico. Se o presidente do PSB não quiser, tudo bem: saio. Não xinguei o presidente, disse apenas: se não me quiser, dane-se. Nada tenho contra o presidente do PSB. Se sair, não vou xingar o partido. Siqueira é uma pessoa querida, sempre me respeitou e tratou com carinho. Gostaria que o PSB entendesse minha posição. Insisto que fui contra o projeto de Bolsonaro sobre armas, fiz um projeto e o governo recuou. Acataram o que propus. Ressalto que não sou amigo de Bolsonaro, mas não quero nem vou ser inimigo do Brasil”, destaca Kajuru.

Perguntado se vai para o PSOL, Kajuru disse que não. “Nada tenho contra o partido, mas esclareço que não vou me filiar ao PSOL. Pode ser que eu, se sair do PSB, fique sem partido — como o senador José Antônio Reguffe.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

normando

KAJURU…GRANDE KAJURU…SAIA DESSES PARTIDOS COMUNISTAS….VAI PARA OUTRO SEM IDEOLOGIA COMUNISTA…OLHE A CHINA…BAGUNÇA TOTAL….DE PREFERENCIA DE DIREITA…

Leonardo Dias

Muito individualista. Não confio nesse cara. Acho ele oportunista e me parece totalmente perdido nessa guerra de poder que vivemos no Brasil. Chega a ser ingênuo. Jamais terá meu voto.

Marcelo Rodrigues

Kajuru ,o projeto de armas foi uma promessa de campanha feita por Jair bolsonaro e se foi um pedido do povo ,por quê o senhor votou contra? A bandidagem estar muito bem armada ,invadem as nossas propriedades e ficamos vulneráveis sem poder defender o que é nosso. Solicito um pedido: apoiar o projeto de Bolsonário , ou seja, que familias preparadas possa portar dentro de sua residência uma arma para se defender.

jose luiz moraes passos

Você se identifica com a excrescência do a. molon ? Não tem nada contra o psol ? O Siqueira te manda embora e você diz que ele “gosta” de você ? Kajuru, você é muito suspeito, muito NÃO CONFIÁVEL.

Valdair

Acredito que o podemos é uma boa pro Kajuru