Chiquinho Oliveira apoiou Marconi Perillo para o governo e seu candidato ao Senado, Vilmar Rocha, em 2014. Isto faz a diferença

Reprodução
Chiquinho Oliveira é marconista; José Vitti inventou o marconismo-caiadista | Reprodução

Um tucano de proa afirma que, na eleição de 2014, o líder do governo na Assembleia Legislativa de Goiás, o tucano José Vitti, declarou voto em Ronaldo Caiado, do DEM, para senador. É evidente que, para governador, o político de Palmeiras de Goiás apoiou o governador de Goiás, Marconi Perillo, do PSDB. Mas não bancou Vilmar Rocha, do PSD, que era apoiado pelo tucano-chefe, para senador.

Em 2018, se o governador Marconi Perillo deixar o governo para disputar mandato de senador ou presidente da República, e se José Vitti for eleito presidente da Assembleia Legislativa, o deputado se tornará o vice-governador do Estado. Será o vice do governador José Eliton, do PSDB.

Tendo votado em Ronaldo Caiado, José Vitti terá dificuldade para se tornar presidente da Assembleia. A tendência é que Chiquinho Oliveira, mais articulado e afinado com a base tucana, se torne, aos poucos, o nome forte para comandar a AL.

Numa recente visita a Catalão, para prestigiar o prefeito Jardel Sebba, o tucano-chefe chegou acompanhado de Chiquinho de Oliveira. Os dois, diga-se, estavam com camisas na cor azul, um azul hoje conhecido como “azul Perillo”. Detalhe: Marconi desceu e o segundo a descer do avião foi o tucano.