Iris diz que irá resolver problema do transporte coletivo imediatamente. Por que não resolveu antes?

Candidato do PMDB esquece de propósito o que disse antes e volta a insistir que vai resolver o que nunca resolveu: o problema do transporte coletivo

Iris Rezende: promessas e ações mirabolantes que às vezes pioram os problemas da cidade, como no caso da limpeza urbana da capital | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Iris Rezende: a memória do peemedebista é altamente seletiva; ele conta com falta de memória dos eleitores | Foto: Fernando Leite/ Jornal Opção

Os candidatos a prefeito de Goiânia pelo PT, Adriana Accorsi, pelo PSB, Vanderlan Cardoso, pelo PR, Waldir Delegado Soares, e pelo PSD, Francisco Júnior, estão dormindo no ponto. Enquanto não ajustarem críticas mais precisas ao candidato do PMDB, Iris Rezende, vão assisti-lo crescer.

Não se trata de criticar Iris Rezende de maneira indiscriminada, e sim de mostrar suas contradições. Observe-se que, numa campanha recente para prefeito, o peemedebista disse que iria resolver o problema do transporte coletivo em seis meses. Não resolveu em mais de quatro anos.

Agora, como se não tivesse falhado na gestão anterior, prometendo o que não conseguiu cumprir, Iris Rezende está sugerindo que, se eleito, vai resolver o problema do transporte coletivo nos primeiros dias de seu governo. “Imediatamente”, frisa. Seus adversários, que parecem anestesiados, nem percebem que o peemedebista está prometendo o que nunca cumpriu e que não tem condições de cumprir.

Fica-se com a impressão de que os adversários de Iris Rezende o reverenciam. Permitir que o peemedebista deslanche, por inércia crítica, pode ser um mau negócio. Vale dizer que a campanha é muita curta. O amanhã é sempre hoje. Por isso urge que Delegado Waldir, Vanderlan Cardoso, Adriana Accorsi, Francisco Júnior, Djalma Araújo e Flávio Sofiatti, se não quiserem apenas fazer figuração, acordem, e rapidamente.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.