Henrique Meirelles abre portas do Ministério da Fazenda para Marconi Perillo e para Goiás

Foto: Facebook Marconi

Foto: Reprodução Facebook Marconi

Logo depois da posse dos ministros do governo do presidente Michel Temer (PMDB), o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), mantiveram uma longa e cordial conversa.

O tucano-chefe, hoje político de forte presença nacional, colocou-se à disposição de Henrique Meirelles para colaborar no estabelecimento de um diálogo com os governadores dos Estados. Marconi Perillo lidera os governadores do Centro-Oeste, com o acréscimo do Tocantins, e mantém ligações com vários outros gestores estaduais. Os dois ficaram de estreitar o contato, assim que o líder goiano voltar dos Estados Unidos.

Henrique Meirelles e Marconi Perillo conversaram a respeito das dívidas dos Estados e a respeito do pacto federativo. O ministro, que já foi filiado ao PSDB de Goiás, e o tucano falaram sobre as medidas para debelar a crise — que serão duras, mas necessárias. O ministro acompanhou com atenção as medidas tomadas pelo gestor estadual que, antecipando-se à crise nacional, cortou gastos e enxugou a máquina pública.

Amigos de longa data, Henrique Meirelles e Marconi Perillo estão sempre conversando. Em 2014, o tucano goiano foi o principal responsável pela articulação — que quase deu certo — para que o hoje ministro se tornasse vice de Aécio Neves, o candidato do PSDB a presidente da República. O ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab vetou a aliança, optando por apoiar a candidata Dilma Rousseff, do PT.

Marconi Perillo, segundo o próprio Henrique Meirelles, terá as portas do Ministério da Fazenda inteiramente abertas para as reivindicações do governo goiano. A privatização da Celg, por exemplo, deverá ser acelerada tanto pelo presidente Michel Temer quanto pelo ministro mais forte do governo. Lula da Silva, depois de ter se tornado “primeiro-ministro” do governo de Dilma Rousseff, contribuiu para travar a privatização — alegando que o líder goiano era a favor do impeachment e, por isso, conspirava com e para Michel Temer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.